Alargamento do porto de Setúbal ignora impacto económico na pesca e turismo

Turismo já vale cerca de 30 milhões por ano e pesca emprega mais de 300 pessoas, mas o único estudo económico realizado centra-se apenas na actividade portuária

Foto
Pedro Cunha

O Projecto de Melhoria da Acessibilidade Marítima ao Porto de Setúbal, cujas obras já começaram (ver caixa), não contempla o estudo do impacto económico em actividades relevantes para a economia local, como o turismo e a pesca. O único estudo económico realizado no âmbito do projecto é sobre a viabilidade económica do investimento, que serviu de base à candidatura aos fundos comunitários do programa Compete 2020, e que basicamente analisa o que pode o porto ganhar se passar a receber navios de maior calado. O método é comparar a evolução da actividade portuária em Setúbal esperada para os próximos 25 anos nos cenários com e sem projecto.