Diz-me a quem rezas, dir-te-ei quanto arriscas

Um investigador português e dois espanhóis estudaram a relevância da cultura e da religião na gestão das empresas. E perceberam que católicos se aproximam mais dos muçulmanos do que dos protestantes.

Foto
Getty Images

A política de investimentos é uma das tarefas mais complexas de um gestor. Cada pessoa tem um perfil de risco, mas quando envolve empresas são frequentemente usados critérios mensuráveis para ajudar a decidir se se arrisca mais ou menos. Porém, o nível de risco também pode ser explicado pela cultura e pela religião. Os católicos e muçulmanos tendem a ser investidores mais avessos ao risco, ao passo que é mais comum encontrar maior adesão ao risco entre protestantes.