Cavaco nomeou cunhada para cargo em Belém

Antigo Presidente da República nomeou a cunhada para fazer assessoria no gabinete de Maria Cavaco Silva. Depois foi nomeada para um cargo na Casa Civil.

Foto
LUSA/José Sena Goulão

Cavaco Silva, antigo Presidente da República, nomeou a cunhada para um cargo de assessoria em Belém, durante o seu mandato presidencial, em 2006. O caso foi confirmado esta segunda-feira ao Observador pelo gabinete do ex-Presidente da República, depois de terem sido recordadas outras histórias de nomeações no tempo dos seus Governos.

Maria Cavaco Silva, sua mulher, foi assessorada pela cunhada, Margarida Mealha Santos Silva, depois de ter sido nomeada para trabalhar com a mulher do então Chefe de Estado no Gabinete de Apoio ao Cônjuge — um órgão criado por Jorge Sampaio e que foi mantido por Cavaco aquando da sua chegada a Belém.

Ao Observador, o gabinete de Cavaco Silva garante que o ex-Presidente nunca escondeu a ligação familiar existente, sublinhando que o cargo de Margarida Mealha Santos Silva “nunca teve quaisquer funções ligadas à acção política e constitucional do Presidente da República.”

Margarida Mealha Santos Silva limitar-se-ia a apoiar a primeira-dama, que expressou o desejo de ser acompanhada por alguém da sua confiança.

O gabinete de Cavaco Silva argumenta que o mérito da carreira de Margarida Mealha no sector privado lhe valeu a nomeação e que foi abordada pelo Palácio de Belém quando dirigia a Sadomarítima, uma empresa do sector dos transportes marítimos.

Segundo o Observador, apesar de Margarida Mealha sempre ter estado “adstrita ao Gabinete de Apoio ao Cônjuge”, as suas funções foram alteradas em 2009. A partir desse ano, passou a fazer a assessoria da Casa Civil. Em 2011, foi reconduzida no segundo mandato de Cavaco. Terminado o mandato, foi agraciada com o grau de grande-oficial da Ordem do Infante Dom Henrique — um reconhecimento habitual dos Presidentes nos términos dos mandatos aos membros dos seus gabinetes.

Cavaco Silva, durante os anos como primeiro-ministro, já tinha sido notícia por ter nomeado o cunhado, António Vieira Santos Silva (irmã de Maria Cavaco Silva) como vogal do conselho de administração da Cimpor. A nomeação aconteceu “a poucos dias da privatização” da empresa, referia a imprensa à época.