Voz de José Afonso volta a ouvir-se em Carreço, quatro décadas depois

Livro-disco com gravações inéditas de José Afonso é lançado este sábado em Carreço, Viana do Castelo, onde ele actuou em 1980. Cantarão João Afonso e Luis Pastor. Paralelamente, em Setúbal, foram anunciadas as comemorações dos 90 anos do nascimento de José Afonso.

,Música
Foto
José Afonso DR

O livro-disco José Afonso Ao Vivo, com dois CD e um LP de gravações inéditas feitas em 1968 e em 1980, vai ser lançado publicamente este sábado, numa sessão em Carreço, distrito de Viana do Castelo, na mesma sala onde José Afonso ali actuou em 23 de Fevereiro de 1980: a da Sociedade de Instrução e Recreio de Carreço. Este é um dos concertos inéditos que integram José Afonso Ao Vivo, ambos gravados por particulares, à época, e agora tratados digitalmente. O outro, anterior, foi registado em Coimbra, em 4 de Maio de 1968. O de Carreço ocupa um dos CD integrados no livro-disco, enquanto o de Coimbra surge em CD e também em vinil.

Com edição da Tradisom e textos do jornalista Adelino Gomes, que ao longo das mais de 80 páginas que tem o álbum conta pormenorizadamente as histórias e episódios que rodearam os dois concertos, recordados em dezenas de depoimentos, o livro-disco teve um período de pré-venda que, segundo o editor, José Moças, correu muito bem. Dos 4000 exemplares editados (tiragem única), terão sido já vendidos 2400. O apelo à compra antecipada tinha um “prémio”: a inclusão, no livro-disco, dos nomes de todos os compradores individuais. E foram cerca de 780. A estes, somem-se 1125 exemplares em compras institucionais (que também incluíam logótipos das entidades compradoras) e mais meio milhar em encomendas para venda em loja.

PÚBLICO -
Foto
Livro e discos da edição José Afonso Ao Vivo

Várias sessões e concertos

A sessão em Carreço, que tem já a lotação praticamente esgotada (350 pessoas), decorrerá no dia 6 de Abril, sábado, às 21 horas, e nela participam muitos dos que testemunharam à época o concerto que ali deu José Afonso, acompanhado pelos músicos Júlio Pereira, Guilherme Inês e Henrique Tabot, numa sala onde se juntaram então 400 pessoas, mais 50 do que a sua lotação.

José Moças, editor da Tradisom, entusiasma-se ao falar deste lançamento e do seu significado: “Além da Zélia e dos filhos do Zeca há muita gente que vem de Lisboa, das Astúrias, da Galiza, e será descerrada uma placa alusiva ao evento (é a Zélia que a vai descerrar). Vai ser uma noite muito interessante, com surpresas que ainda não contei a ninguém, nem possa contar agora.”

A apresentação da edição está a cargo do poeta e escritor José Manuel Mendes, por sugestão de Adelino Gomes, que também estará presente e falará, tal como José Moças e o crítico musical e bloguista Ricardo Romano, que no livro analisa as interpretações de José Afonso nos concertos. Estará também na sessão o autor da iniciativa que levou à gravação do concerto, Manuel Mina. Após a apresentação, haverá uma sessão musical com, entre outros, João Afonso e Luis Pastor.

A sessão de Carreço é apenas a primeira onde José Afonso Ao Vivo será apresentado. Haverá várias este mês, já todas elas marcadas. A próxima será dia 12, à tarde, em Setúbal, na Casa da Cultura (onde a apresentação estará a cargo do radialista António Macedo), com concerto à noite no Luísa Todi pelo projecto Por Terras do Zeca, com Filipa Pais, João Afonso, Maria Anadon, Zeca Medeiros, Firmino Pascoal e Vítor Paulo, sob direcção de Davide Zaccaria. A sessão em Setúbal tem outra particularidade: coincide com a inauguração de uma exposição de desenhos do ilustrador Pedro Sousa Pereira, todos feitos a partir dos capítulos do livro-disco.

Até Maio haverá mais sessões: dia 15 nos Açores, na Biblioteca de Angra do Heroísmo (18h); dia 16 em Coimbra, no Convento de São Francisco (18h30), seguindo-se um concerto de homenagem à obra de José Afonso, pelos UHF; dia 18 em Lisboa, no Teatro da Trindade; dia 22 em Torres Novas, na Gruta das Lapas (onde José Afonso também deu um concerto, que vem mencionado com relevo no livro); dia 23 na Guarda, Biblioteca (18h), com o concerto Por Terras do Zeca à noite; dia 24 em Silves, na Biblioteca (18h), também com concerto; dia 25, Guimarães, na ASMAV (18h), com o concerto Por Terras do Zeca em Ponte de Lima, que só no dia 26 será apresentado em Guimarães, no Centro Cultural Vila Flor. Dia 17, a apresentação será em Soure, nos Paços do Concelho (18h), com concerto à noite no Multiusos; dia 30, em Viana do Castelo, haverá só o concerto, no Teatro Sá de Miranda; e dia 1 de Maio haverá sessão de apresentação em Santo Tirso, na Fábrica Santo Thyrso (17h), seguida de concerto às 18h.

Comemorações em Setúbal

Em Setúbal, a Associação José Afonso (AJA) anunciou esta quinta-feira um programa de comemorações dos 90 anos do nascimento de José Afonso, das quais constam um concerto de rua com “companheiros de estrada” do cantor e a edição de um roteiro com “os lugares do Zeca” em Setúbal. Na conferência de imprensa, segundo a agência Lusa, a escolha desta cidade para tal anúncio foi justificada com o facto de as geografias do “poeta, andarilho e cantor” se cruzarem com Setúbal – onde se fixou em 1967, e onde morreu, em 23 de Fevereiro de 1987.

Além de um concerto ao ar livre com “companheiros de estrada, de estúdio e de vida” de José Afonso (os nomes não foram ainda revelados, por não estarem concluídos todos os contactos), as comemorações do nascimento de José Afonso (em 2 de Agosto de 1929, em Aveiro) integram ainda uma exposição com capas de edições discográficas pouco conhecidas, patente a partir de 21 de Abril na Casa da Cultura de Setúbal, que acolherá também “tertúlias” sobre a sua obra.

Para 28 de Abril está marcada uma sessão intitulada Baladas e Cantares do Andarilho, pelo músico Rui Pato, que começou a acompanhar José Afonso à viola, aos 16 anos, em Coimbra, e com quem, na década de 1960, gravou vários discos; e no dia 26 de Maio há uma tertúlia chamada Contos velhos, rumos novos e traz outro amigo também, com Mário Correia, autor de livros sobre José Afonso. Serão, ambas, moderadas pelo jornalista Viriato Teles.

O roteiro anunciado na conferência de imprensa é da autoria de Albérico Afonso, professor da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal e investigador do Instituto de História Contemporânea. O programa de comemorações, diz a AJA, alarga-se às crianças, com teatro e oficinas, para “passar o legado de José Afonso às gerações mais novas”.

A nível nacional, o presidente da AJA, Francisco Fanhais, sublinhou ainda a edição em livro de correspondência inédita entre José Afonso e a família do jornalista e fotógrafo Rocha Pato, pai do músico Rui Pato. Este será também homenageado num concerto, no Fórum Lisboa, em 16 ou 17 de Novembro, conforme a disponibilidade da sala solicitada à Câmara da capital.