Joana Vasconcelos no Guggenheim Bilbao está entre as 20 exposições mais vistas de 2018

I'm Your Mirror, a exposição de Joana Vasconcelos agora patente em Serralves, está em 13.º lugar do top 20 publicado anualmente pelo jornal The Art Newspaper. Heavenly Bodies: Fashion and the Catholic Imagination, do Metropolitan Museum of Art, ocupa o primeiro lugar.

Foto
I'll Be Your Mirror, exposição de Joana Vasconcelos no Guggenheim Bilbao, está em 13º lugar das mais visitadas de 2018 segundo o The Art Newspaper Luís Vasconcelos

Todos os anos, o jornal mensal The Art Newspaper, editado por Alison Cole, recolhe números de visitas de exposições a nível mundial e compila-os em listas. As listas relativas a 2018 foram publicadas este domingo no site do jornal. O top 20 das exposições mais visitadas traz, nos dois lugares cimeiros, duas exposições do The Metropolitan Museum of Art (Met), em Nova Iorque: Heavenly Bodies, com 10.919 visitas diárias e 1.659.647 visitas no total, e Michelangelo: Divine Draftsman and Designer, com 7.893 visitantes por dia e 702.516 no total. É a primeira vez desde os anos 1990 que o Met está no topo da lista.

Mais abaixo na classificação, em 13.º lugar, com 5.561 entradas por dia e 649.082 ao todo, entre 29 de Junho e 11 de Novembro, vem Joana Vasconcelos: I'm Your Mirror, do Guggenheim Bilbao, que tem o mesmo nome da exposição da artista portuguesa que está agora em Serralves. Das quatro exposições do museu basco que entrararam na lista, que inclui também Chagall: the Breakthrough Years, Javier Téllez: Shadow Play e Art and China after 1989: Theatre of the World, é a que teve mais espectadores no total.

Em terceiro lugar está Do Ho Suh: Almost Home, do Smithsonian, que, tal como Heavenly Bodies, também passa a barreira do milhão de espectadores, com um milhão e 123 mil entradas (7.853/dia) Seguem-se Masterpieces from Tate Britain 1700-1890 e Bronze Vessels, ambos do Museu de Xangai; Higashiyama Kaii Retrospective 1908-99, do National Art Center em Tóquio; Crossroad: Belief and Art of Kushan Dynasty e The Wanderers: from the Tretyakov Gallery, os dois, mais uma vez, do Museu de Xangai, Jomon: 10.000 Years of Prehistoric Art in Japan, do Museu Nacional de Tóquio; e Ancient Wall Paintings from Shanxi Museum, também de Xangai.

Nos dez lugares seguintes, por ordem, está o Electronic Language International Festival, no Centro Cultural do Brasil; as já mencionadas mostras de Chagall, Joana Vasconcelos e Javier Téllez e Delacroix, do Louvre, seguindo-se, a também já referida Art and China do Guggenheim, Gauguin: The Alchemist, do Grand Palais; Being Modern: MoMA in Paris, da Fondation Louis Vuitton; Impressionist Masterpieces, do National Art Center de Tóquio e, por fim, Swords of Kyoto: Master Craftsmanship, no Kyoto National Museum.

Apesar da proeminência do Guggenheim nas exposições mais visitadas (só o Museu de Xangai tem mais exposições, com cinco), este não vem depois no top 10 dos museus de arte mais visitados de 2018. Essa lista é encabeçada pelo Louvre, num ano em que bateu recordes, chegou aos dez milhões e 200 mil visitantes, e se manteve no topo da lista, seguindo-se o Museu Nacional da China, o Met, os museus do Vaticano, a Tate Modern, o British Museum, a National Gallery, a National Gallery of Art, o State Hermitage e o Victoria and Albert. Este décimo lugar teve pouco menos de quatro milhões de visitantes.