Julian Rojas Dättwyler/Unsplash
Foto
Julian Rojas Dättwyler/Unsplash

Mais pizzas vegan em Portugal? Há uma petição para isso

A Associação Vegetariana Portuguesa está a promover uma campanha para pressionar as grandes cadeias de pizzarias a incluir opções vegan nos seus menus. Petição espera recolher 5000 assinaturas.

Criada pela Associação Vegetariana Portuguesa (AVP), a campanha Pizza vegan em Portugal: e tu, que dizes? dirige-se às grandes pizzarias portuguesas — com destaque para a Pizza Hut, Telepizza e Domino’s Pizza — e visa promover a inclusão de pizzas vegan nos menus. De forma a atingir este objectivo, foi lançada uma petição que espera recolher 5000 assinaturas para “mostrar que há interesse dos consumidores”.

Nuno Alvim, gestor da campanha e presidente da AVP, realça que a iniciativa não se dirige apenas a um público vegano, mas também a “pessoas intolerantes à lactose" ou que, "por razões diversas de saúde", preferem essa opção. Foi escolhida a meta inicial de 5000 assinaturas por ser um valor com “suficiente dimensão para ser expressivo”. O promotor espera que o objectivo seja alcançado no menor tempo possível “para dar força à campanha”.

Por agora, a petição "está a avançar a um bom ritmo”, afiança Nuno Alvim ao P3, tendo já reunido cerca de mil assinaturas. O que não é surpreendente tendo em conta o progressivo aumento do número de vegetarianos e veganos em Portugal. Um estudo da Nielsen, promovido pelo Centro Vegetariano, estima que o número de vegetarianos em Portugal quadruplicou na última década, correspondendo em Setembro de 2017 a 120 mil pessoas (cerca de 1,2% da população portuguesa). Segundo a análise, que se baseou numa amostra de 2000 indivíduos a viver em Portugal Continental, em 2017 existiriam 60 mil portugueses veganos (0,6% da população portuguesa), enquanto dez anos anos apenas 30 mil seguiam a dieta vegetariana. É entre os jovens (25-34 anos) que a tendência reúne mais adeptos.

Outro estudo, promovido pela AVP em 2018, dá conta do aumento do número de estabelecimentos vegan e vegetarianos em Portugal. As 28 lojas em 2008 deram lugar a 172 estabelecimentos em 2018 (houve um aumento de 323%), dos quais 110 são vegetarianos e 62 são veganos. Em adição a isto, em 2018 realizaram-se cinco festivais vegetarianos e/ou vegan. Por tudo isto, o mercado vegano, como escreve Nuno Alvim neste artigo, pode ser uma boa aposta para os investidores.

Portugal é ainda um exemplo a nível global devido à lei de 2017 que estabelece a obrigatoriedade de incluir uma opção vegetariana em todas as cantinas públicas. A medida, única em todo o mundo, foi aclamada pela comunidade vegetariana internacional. Este ano, por cá também se aderiu ao Veganuary, conhecido por Desafio Vegetariano, que contou com a participação de mais de 4500 portugueses que passaram o mês de Janeiro sem consumir produtos de origem animal. De referir ainda que o jornal britânico The Economist estimou que 2019 será o “Ano do Veganismo”.

A campanha promovida pela AVP inspirou-se no exemplo da Pizza Hut no Reino Unido. No âmbito do Veganuary, a cadeia de restaurantes lançou, em Janeiro, uma nova pizza vegana – Vegan BBQ Jack ‘n’ Ch**se – que seria vendida durante o primeiro mês do ano nos 253 estabelecimentos do país. O sucesso foi tanto que a empresa decidiu incluí-la de forma permanente no menu a partir de Março. “Vimos que existia aqui um ímpeto a nível internacional e quisemos aproveitar”, explica Nuno ao P3.

E se as 5000 assinaturas forem conseguidas? Nuno não sabe se as pizzas vegan serão realmente incluídas nos menus, seja de forma permanente ou apenas durante um tempo limitado. “Nós entendemos que é difícil para estas empresas saltar a pés juntos, portanto é normal que prefiram começar por testar e apalpar o mercado.” O importante, diz Nuno, é que apostem “na diversidade para sair um pouco da monotonia e abranger outros mercados, mesmo que seja um nicho, como é o caso deste”.