Seis discos para conhecer Sequeira Costa

Um pianismo simultaneamente poderoso e de extrema elegância.

Foto
Sequeira Costa ©Enric Vives-Rubio

A discografia de Sequeira Costa é extensa e o seu repertório era ainda muito maior. Para o conhecer ficam os discos e os inúmeros excertos destes que se podem escutar no YouTube. A concepção orquestral do som, o domínio da polifonia, o rigor para com o texto, o brilho e a clareza do trabalho digital e a gestão criteriosa dos clímaxes são a imagem de marca de um pianismo simultaneamente poderoso e de extrema elegância.

1964 (Decca). Música Portuguesa e Espanhola: A elegância e simplicidade com que as melodias de carácter popular se sucedem nas peças de Vianna da Motta, de quem o pianista foi aluno, são absolutamente irresistíveis e um testemunho de autenticidade imperdível. Os ritmos de danças populares nestas peças e em Albéniz criam a ilusão de tocarem vários instrumentos ao mesmo tempo e de alguns entrarem num diálogo ao desafio. 

1971 (Supraphon). Ravel (Gaspard de la nuit) e Albeniz (excertos da Suite Ibéria): Naquela que é uma das peças mais difíceis do repertório pianística, o Gaspard de la nuit, Sequeira Costa domina a partitura sem qualquer limitação técnica e criando uma dramaturgia empolgante com ambientes contrastantes muito bem retratados. É uma referência no repertório.

PÚBLICO -
Foto

1977 (Supraphon). 24 Estudos de Chopin: Sequeira Costa interpreta os estudos de Chopin com plena musicalidade, fazendo-nos esquecer que são estudos de virtuosismo e retirando o carácter tão individual de cada peça sem deixar transparecer a sua dificuldade extrema.

PÚBLICO -
Foto

1978 (Supraphon). Schumann (Carnaval e Cenas da Floresta): As facetas heróica e apaixonada, o ímpeto e a compaixão, o lirismo e o som orquestral do pianismo de Sequeira Costa encontram na música de Schumann o cenário ideal para a melhor expressão de emoções.

1991-93 (RPO).  Rachmaninov (Concertos para piano): A parceria com o maestro Christopher Seaman e a Royal Philharmonic originou uma integral dos concertos de Rachmaninov que se tornou uma referência internacional e que foi depois reeditada até aos nossos dias por várias editoras. O segundo concerto deve ter sido dos concertos mais vendidos de Sequeira Costa. Foi com este mesmo maestro que Sequeira Costa interpretou oito concertos com orquestra na Casa da Música em celebração dos seus 80 anos.

PÚBLICO -
Foto

1999-2007 (Claudio Records). Beethoven (Integral das Sonatas para piano): É como que o testamento do pianista Sequeira Costa em dez CD e o testemunho de uma vida dedicada ao estudo de Beethoven desde o tempo de estudante com Vianna da Motta, outra grande referência neste compositor. Fez várias vezes a integral ao vivo, nomeadamente na Fundação Gulbenkian, e fez dela o seu último projecto discográfico. A concepção orquestral do som e a análise detalhada de todos os motivos e temas são irrepreensíveis, mas nunca comprometem o fluir natural da música. 
 

PÚBLICO -
Foto