Portimonense atrasa Sp. Braga no Algarve

Wellington e Dyego Sousa foram os autores dos golos que ditaram a igualdade entre o vice-líder e o oitavo classificado.

Foto
LUSA/LUÍS FORRA

O Portimonense perdeu diante do Sp. Braga uma oportunidade de bater mais um candidato ao título, apesar de não ter podido utilizar o lesionado Nakajima e de ter contado com um Jackson Martínez a léguas do que de melhor sabe fazer. O empate (1-1) na 17.ª jornada acaba por traduzir o que se passou ao longo de um encontro em que as duas equipas acumularam erros e desperdiçaram algumas boas situações para resolverem um duelo animado e de grande incerteza, que durou até aos segundos finais.

O Sp. Braga dispôs, aliás, da primeira ocasião de golo no Algarve, com Ricardo Ferreira a negar, por instinto, a primeira de três oportunidades a Paulinho. Os vice-líderes procuravam vencer onde os candidatos Sporting e Benfica tinham caído com estrondo, mas um erro do guarda-redes Tiago Sá deixou o Portimonense em vantagem: na sequência de uma transição rápida, a bola cruzou toda área, deixando Wellington apenas com a oposição de João Novais.

O médio que rendeu Ricardo Horta no “onze” de Abel Ferreira chegou tarde e Wellington aproveitou a desconcentração do guarda-redes para aumentar a pressão sobre o adversário.

Os minhotos reagiram ainda na primeira parte, mas só no início do segundo tempo marcaram pelo inevitável Dyego Sousa, com um cabeceamento fulminante na sequência de um pontapé de canto.

Até final, a vitória poderia ter pendido para qualquer uma das formações, mas o empate acabou prevaleceu perante a incapacidade dos avançados, com Bruno Tabata a desperdiçar um lance flagrante e o Sp. Braga a revelar idêntica desinspiração, ao ver Paulinho voltar a falhar frente a Ricardo Ferreira.