Erdogan recusa ver Bolton e rejeita ceder face aos curdos da Síria

Presidente turco ficou furioso com sugestão do conselheiro de Trump, que fez depender retirada militar dos EUA da Síria da protecção aos aliados curdos.

Erdogan não se quis encontrar com John Bolton
Foto
Erdogan não se quis encontrar com John Bolton LUSA/STR

A imposição de condições que visam proteger os combatentes curdos na Síria feita pelos EUA é “inaceitável”, afirmou esta terça-feira o Presidente turco Recep Tayyip Erdogan, em resposta às declarações do conselheiro de Defesa Nacional da Casa Branca, John Bolton.

O norte-americano foi enviado à Turquia com a missão de conseguir garantias por parte das autoridades locais de que os grupos curdos que são apoiados por Washington não serão um alvo de futuras operações turcas na Síria. Porém, as declarações de Erdogan e a sua recusa em encontrar-se com Bolton mostram que a visita do conselheiro de Donald Trump foi um fracasso.

No mês passado, Trump surpreendeu os próprios aliados ao anunciar a retirada militar norte-americana da Síria, onde está um contingente de dois mil efectivos, dizendo que o Daesh tinha sido “destruído”. No entanto, declarações posteriores de Bolton indicaram a necessidade de garantir que os curdos das Unidades de Defesa do Povo (YPG), determinantes no combate aos jihadistas do Daesh, não fossem visados pela Turquia.

Para o Governo de Ancara, as YPG são uma extensão síria do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), um grupo armado que lidera uma insurgência no território turco e que é combatido pelas forças de segurança.

“Se são terroristas, iremos fazer o que é necessário, sejam eles de onde forem”, declarou Erdogan durante uma reunião com deputados do Partido da Justiça e Desenvolvimento, no poder. Sem a protecção norte-americana no terreno, a Turquia teria assim campo aberto para realizar operações militares contra as YPG.

“Se os EUA olhar para eles como ‘irmãos curdos’ é porque estão numa profunda ilusão”, disse ainda Erdogan.

A sugestão de Bolton de que a retirada norte-americana está dependente de garantias de protecção dos curdos enfureceu Erdogan. “Bolton cometeu um erro grave e quem quer que pense como ele também cometeu um erro. Não podemos fazer cedências neste ponto”, afirmou o líder turco.

Bolton esteve no fim-de-semana em Israel, onde se reuniu com o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, e esperava encontrar-se com Erdogan esta semana. Um dirigente governamental turco disse à Reuters que as declarações do conselheiro norte-americano foram um factor para o cancelamento do encontro.