Istambul faz inveja a muitas cidades globais

O leitor Manuel Ferreira partilha a sua experiência na cidade turca.

Foto
DR

Cidade-chave de vários impérios que se chamou Bizâncio, depois Constantinopla e presentemente Istambul, com um legado histórico das civilizações árabe, otomana, romana e grega, esta enorme metrópole soube sempre sobreviver e impor-se como garantia de qualquer uma das civilizações.

Modernizada pelo "pai" da nação turca, Ataturk, segundo um modelo próximo do ocidental durante o século XX, rica em monumentos, chamada por muitos a Roma do Oriente, Istambul marca qualquer viajante. Hoje, não deixa de ser espantoso ver de um lado os arranha-céus como as torres Trump e do outro as mesquitas com o muezzin a chamar para as orações (existem mais de duas mil mesquitas), no meio de um trânsito caótico (são dezasseis milhões de habitantes na área metropolitana)! 

Obrigatório também visitar, pela sua variedade, cheiros e cores, os mercados egípcio (mercado das especiarias) e o Grande Bazar (cerca de cinco mil lojas), por onde passam diariamente meio milhão de pessoas pela qualidade e preço dos produtos.

Do muito que se pode fazer nesta metrópole, não poderia faltar o cruzeiro no Bósforo, onde podemos apreciar quer o lado europeu, quer o asiático e ver que aquela barreira natural afinal é uma passagem entre os dois continentes e ligação entre dois mares (Mediterrâneo e Negro).

Com grande dinamismo económico e cultural, de fazer inveja a muitas cidades globais, esta cidade bem podia ser a capital, mas por decisão política perdeu para Ancara o título por ser periférica em relação ao território turco. Para finalizar, não podia deixar de referir a segurança que se sente em qualquer lado por onde andemos - e isto apesar de esta cidade se encontrar num dos locais mais conturbados do planeta.

Manuel Ferreira