Rennes nega vice-liderança ao Lyon

Equipa do português Anthony Lopes, que não perdia em casa desde a 4.ª jornada, falhou ataque à vice-liderança da Ligue 1. Marselha e Saint-Étienne igualmente derrotados deixam Lille isolado no segundo lugar.

Siebatcheu marcou o segundo golo do Rennes
Foto
Siebatcheu marcou o segundo golo do Rennes Reuters/EMMANUEL FOUDROT

O Lyon do internacional português Anthony Lopes foi esta quarta-feira derrotado (0-2) pelo Rennes, em jogo da 16.ª jornada da Liga francesa, falhando o assalto à vice-liderança, que o Lille acabou por segurar depois da vitória conseguida em Montpellier, na véspera.

A tarde começou com a norueguesa Ada Hegerberg a exibir a Bola de Ouro aos adeptos do Lyon, após conquistar a primeira edição do troféu na versão feminina, o que não impressionou a equipa orientada pelo técnico interino Julien Stephan, que substituiu Sabri Lamouchi, despedido na sequência da derrota (1-4) com o Estrasburgo.

Em apenas dois minutos, o ex-Lyon Ben Arfa (41') e Siebatcheu (43') reduziram praticamente a pó a esperança dos locais recuperarem o segundo lugar do campeonato, impondo ainda a primeira derrota caseira ao Lyon desde 31 de Agosto, na 4.ª jornada, frente ao Nice. O Lyon voltou para a segunda parte a pensar que poderia repetir a proeza da ronda anterior, em Lille, onde recuperou de uma desvantagem de dois golos.

Mas o guarda-redes do Rennes e o poste da baliza visitante frustraram as intenções dos locais, que só não caíram para o sexto lugar porque Saint-Étienne e Marselha também falharam nos respectivos jogos.

Em Bordéus, os locais alcançaram em período de compensações uma importante vitória frente ao Saint-Étienne (3-2), depois de terem entrado a perder (Diony, 16') e terem dado a volta ao marcador, com golos de Briand (22') e Kamano (57'), acabando por sofrer na sequência de um golo de Khazri (67'). Mas Pablo Castro (90+1') guindou o Bordéus à 10.ª posição do campeonato, com 21 pontos, a cinco de Marselha e Saint-Étienne, respectivamente quinto e sexto.

O Marselha saiu derrotado na viagem ao reduto do Nantes, onde esteve a vencer por duas vezes: primeiro por Morgan Sanson (28') - vantagem que durou dois minutos (Emiliano Sala empatou aos 30') - e na sequência de um penálti de Florian Thauvin (36'). O Reims voltou a igualar por Abdoulaye Toure (45+1'), chegando à vitória na segunda parte (Gabriel Boschilia, 63').

Alterações ainda no fundo da tabela, na sequência da vitória do Dijon (2-1) sobre o Guingamp, último classificado. Resultado que voltou a mergulhar o Mónaco nos lugares de despromoção, a par de Amiens e Caen, que perdeu na recepção ao Numes (1-2). O Dijon soma 16 pontos, mais três que o trio que, juntamente com o Guingamp (8) fecha a tabela classificativa.