Uma animadora portuguesa na Academia dos Óscares

Regina Pessoa foi convidada em Junho e junta-se assim ao limitado grupo de portugueses que votam para os mais famosos prémios de cinema do mundo.

Foto
RUI FARINHA

Regina Pessoa foi convidada em Junho para integrar a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood e encara esse convite como parte de “uma reacção da sociedade [norte-americana] ao Presidente que tem. Os Óscares são uma reacção”, explicou ao PÚBLICO.

“Fiquei contente por a Academia ter a iniciativa de inclusão, de abertura e diversidade, mas não só no que toca às mulheres mas também no que diz respeito ao artesanato do cinema – o elo mais fraco, da experimentação, de laboratório, que é como eu vejo o meu trabalho.” Para Regina Pessoa, o cinema de animação de curta-metragem de autor é “um laboratório de visuais, de estética e narrativa de que a indústria necessita”, para se refrescar e avançar.

A temporada de prémios aproxima-se e embora nada possa revelar sobre o sentido dos seus votos, a realizadora portuguesa já viu pequenas coisas mudarem no seu quotidiano: “Todos os dias recebo dezenas de convites para ir a Los Angeles ver sessões e links para ver os filmes e votar” para eleger nomeados, sorri. Já não é muito habitual receber filmes de candidatos para sua consideração em formato físico. “Mas ainda hoje recebi um DVD”, assinala como excepção quase anacrónica à regra dos links. A experiência, a temporada, “é muito intensa”.