Trabalhadores da Autoeuropa com sábados e domingos pagos a 100%

Pré-acordo entre gestão e Comissão de Trabalhadores, agora encontrado, ainda vai a votos

Foto
Daniel Rocha

A administração da Autoeuropa e a Comissão de Trabalhadores (CT) chegaram a um pré-acordo sobre a laboração contínua, que implica o pagamento uma majoração de 100% aos sábados e domingos já a partir de Novembro.

Ao PÚBLICO, o coordenador da CT, Fausto Dionísio, afirmou que o pré-acordo implica ainda um aumento salarial de 2,9% por cada um dos próximos dois anos (valor acima da inflação prevista).

Por outro lado, de acordo com o coordenador da CT, a fábrica da Volkswagen em Palmela garante vínculos permanentes, no ano que vem, a “mais de 300 trabalhadores” que estão a prazo (no ano anterior já tinham sido incorporados cerca de 250).

O PÚBLICO tentou uma reacção da administração da Autoeuropa, mas não foi possível.

O próximo passo será dado na semana de 5 a 9 de Novembro, quando o pré-acordo for a votos dos trabalhadores, enquadrados por plenários.

De acordo com o Jornal de Negócios, a Autoeuropa irá estar encerrada na próxima semana, entre 27 de Outubro e 3 de Novembro, por falta de componentes para motores, um problema que abrange a outras unidades fabris do grupo alemão na Europa.

A unidade de Palmela, liderada por Miguel Sanches, começou a laborar aos domingos no passado dia 26 de Agosto, com as negociações ainda em curso. Com mais dois turnos, a estratégia passa por incrementar a quantidade de automóveis que saem da fábrica, com destaque para o novo modelo T-Roc, cujo principal destino é a Alemanha.

Antes, a Autoeuropa já tinha conhecido dois outros impulsos – com a introdução do terceiro turno aos dias de semana (em Outubro), e a laboração de dois turnos aos sábados (em Fevereiro) –, não sem a contestação e instabilidade laboral, que incluiu a queda de uma comissão de trabalhadores (CT) e o afastamento do primeiro responsável da actual CT, Fernando Gonçalves. A própria laboração aos sábados avançou sem o estabelecimento de um acordo que envolvesse os trabalhadores.

Neste momento, os trabalhadores estavam a receber mais 62,5% por cada sábado e domingo de trabalho.

Para se ter uma ideia do incremento de produção, em Setembro do ano passado (já com o T-Roc em fase de arranque de montagem) saíram 9003 veículos da fábrica, quando em Setembro deste ano o valor foi já de 22.955 unidades. Nos sete primeiros meses, a produção chegou às 165.819 unidades, mais 143% face ao mesmo período do ano passado, de acordo com os dados da associação do sector, a ACAP.

Além do T-Roc, o novo modelo que começou a ser fabricado no segundo semestre de 2017, a Autoeuropa produz ainda o Sharan (cujo maior mercado é a China) e o Seat Alhambra. A última estimativa conhecida da empresa apontava para a produção de cerca de 183.000 T-Roc este ano, de um total de perto de 240.000 unidades.

A quase totalidade da produção vai para o estrangeiro, pelo que o incremento do número de veículos tem vindo a reflectir-se no crescimento das exportações, com impacto na balança comercial do país.