Há uma nova casa em Lisboa dedicada ao empreendedorismo e inovação social

O novo pólo empreendedor de Lisboa já está aberto a todos aqueles que tenham soluções inovadoras com impacto social. Casa do Impacto é como se chama o novo espaço impulsionado pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa

Foto
O projecto é uma iniciativa da Santa Casa da Misericórdia em parceria com outras cinco entidades Sebastião Almeida

Há, a partir desta segunda-feira, um novo espaço dedicado ao empreendedorismo e inovação social em Lisboa. A Casa do Impacto, como se chama o novo pólo, surge de uma iniciativa da Santa Casa de Misericórdia de Lisboa e irá funcionar no Convento de São Pedro de Alcântara. Actualmente, este espaço já alberga outros dois projectos de empreendedorismo — a Academia do Código e o SPEAK. Quatro projectos do PAES — Programa de Apoio a Empreendedores Sociais também vão integrar o espaço.

Em comunicado, a Santa Casa refere que o espaço situado no centro da cidade integrará escritórios de startups de impacto, formação e co-working entre outros modelos de empreendedorismo. O objectivo do projecto é “agregar no mesmo espaço físico todas as entidades do ecossistema do empreendedorismo e inovação social”. Este pólo pretende, na sua génese, tornar-se um núcleo para receber projectos de universidades, investidores, empresas ou de autarquias. No fundo, pretendem que “todos possam trabalhar juntos na criação de projectos com impacto social”.

Edmundo Martinho, provedor da Santa Casa explicou que a construção desta Casa “pretende criar as condições necessárias ao desenvolvimento de soluções inovadoras que constituam novas respostas sociais, adequadas aos desafios contemporâneos”.

A Casa do Impacto vai lançar até ao final do ano dois programas de aceleração para empreendedores sociais e impacto. Haverá ainda espaço para a realização de workshops mensais. Um dos objectivos a curto prazo, referem, é “incubar mais de dez startups, inaugurar um espaço de co-work e criar um fundo”. Um concurso de base tecnológica e o desenvolvimento de um sistema de avaliação de impacto para as organizações que “habitem” a casa será ainda um dos objectivos a alcançar.

O espaço de empreendedorismo e inovação social tem como parceiros a Câmara Municipal de Lisboa, a Fundação Calouste Gulbenkian e a Fundação Aga Khan. O banco Montepio e a Portugal Inovação Social também fazem parte das entidades que impulsionaram esta iniciativa.

O novo pólo empreendedor contribui para a concretização dos objectivos da Agenda 2030 das Nações Unidas no que diz respeito à promoção de novas soluções para problemas da sociedade em áreas que incluem a saúde, educação e empregabilidade. 

A inauguração ocorreu durante a tarde desta segunda-feira no Convento de São Pedro de Alcântara e contou com a presença de várias figuras do governo e da câmara de Lisboa. 

Texto editado por Ana Fernandes