Menos acidentes mas mais mortos no rescaldo da Operação Hermes

Entre 29 de Junho e 3 de Setembro foram detidos 3195 condutores, a maioria por excesso de álcool no sangue.

Contabilizaram-se 15.720 acidentes no Verão de 2017
Foto
Contabilizaram-se 15.720 acidentes no Verão de 2017 Hugo Santos/ Arquivo

O balanço da Operação Hermes da GNR, que decorreu entre 29 de Junho e 3 de Setembro, conhecido nesta terça-feira, dá conta de mais 13 mortos em acidentes do que em 2017. No total, morreram 100 pessoas nas estradas portuguesas durante esse período.

Por outro lado, o número total de acidentes diminuiu: foram 15.720, menos 433 do que em 2017. Desses acidentes resultaram 398 feridos graves (mais 19 do que em 2017) e 5205 feridos leves (menos 609).

A operação deste ano resultou em 3195 condutores detidos, a maioria (1998) por ultrapassarem a taxa de álcool no sangue permitida por lei (1,2 gramas/ litro). Foram detidos ainda 797 condutores por não terem carta de condução.

Das 105.180 infracções assinaladas pela GNR, a maioria (39.075) foram por excesso de velocidade. Seguem-se 5 525 infracções por condução com uma taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei, 4047 por falta ou incorrecta utilização do cinto de segurança ou sistema de retenção para crianças, 3667 por uso indevido de telemóvel no exercício da condução e 225 por não circularem na via mais à direita.

A operação Hermes, da GNR, conduz “acções de patrulhamento, fiscalização e apoio aos utentes das vias rodoviárias” durante a altura do Verão, quando há um aumento do trânsito por férias e outros eventos.

De acordo com o comunicado da GNR, as acções de patrulhamento centraram-se nos itinerários mais usados para chegar e partir aos destinos de verão mais concorridos, sejam eles auto-estradas, itinerários principais e complementares, estradas nacionais ou dentro das localidades.