"Canalhas". Obras adiadas em pediatria oncológica enfurecem frei Fernando Ventura

As obras no serviço de oncologia pediátrica do Hospital de São João do Porto foram novamente adiadas pelo Ministério das Finanças e entregues a uma comissão de estudo.

Foto
NFACTOS / FERNANDO VELUDO

A notícia do novo adiamento das obras ao serviço de pediatria oncológica do Hospital de São João no Porto, anunciadas em Julho pelo Ministério da Saúde, foi o mote para que frei Fernando Ventura escrevesse uma carta indignada ao Ministro das Finanças, Mário Centeno.

Nesta quinta-feira, tornou-se conhecido que as obras no “Joãozinho”, no Porto, seriam novamente adiadas e que o projecto será entregue pelo Ministério das Finanças a uma comissão de estudo, para avaliação. “Alguém disse um dia, ‘se queres fazer alguma coisa faz; se não quiseres fazer, nomeia uma comissão...’”, comentou, com ironia, o pároco, na carta que partilhou no Facebook.

Na missiva, Ventura acusa Centeno de “empurrar com a barriga o assunto" e de esquecer as crianças do Hospital São João. “As crianças da oncologia do Hospital São João ainda não votam, nem fazem greves nem paralisam escolas, nem hospitais nem serviços públicos, mas não estão sozinhas”, continua.

Em declarações ao Diário de Notícias, o frei teceu mais críticas: “Acho uma vergonha uma sociedade que não cuida das suas crianças e dos seus velhos. As franjas não produtivas da sociedade são esquecidas e isso é uma atitude terceiro mundista." “São uns canalhas, quem quer que seja que se atreva a brincar com crianças com cancro”, rematou.

Há dez anos que o hospital tem um projecto para construir uma ala pediátrica, mas desde então o serviço tem sido prestado em contentores. Em Junho de 2018, o Hospital de São João inaugurou novas instalações temporárias para tratar as crianças. 

O projecto "Joãozinho" está orçado em cerca de 22 milhões de euros. O hospital tem cerca de 19 milhões de euros depositados numa conta, mas falta luz verde das Finanças para que os possa utilizar.