Mais de 50 detidos por apoiarem protesto por direitos sindicais na China

Além da acção policial. a empresa chinesa afirma que está a ser alvo de censura na internet.

Foto
Reuters/ALY SONG

Mais de 50 estudantes foram detidos nesta sexta-feira por apoiarem trabalhadores que se manifestam pelo direito de formar um sindicato na cidade de Shenzhen, um dos centros tecnológicos da China, disse à agencia noticiosa espanhola EFE uma organização não-governamental.

A China Labour Bulletin (CLB), com sede em Hong Kong e que defende os direitos dos trabalhadores na China, assegurou que a maioria dos detidos são estudantes universitários que apoiam o movimento dos trabalhadores da empresa Jasic Technology. Desde Maio que os trabalhadores da Jasic Technology, com fábricas em Shenzhen e Chengdu e um total de 1200 empregados, reivindicam os seus direitos, depois de a empresa ter despedido os mais críticos.

Três funcionários da empresa também foram detidos por algumas horas.

“O ataque policial contra os activistas estudantis desta manhã mostra que as autoridades estão muito preocupadas com o crescente apoio que os trabalhadores da Jasic estão a receber em toda a China e que estão a tentar silenciar essas vozes através da censura na Internet e da acção policial”, disse à EFE o director de comunicação da CLB, Geoffrey Crothall.

“A menos que as autoridades abordem realmente o problema real, que é a falta de um sindicato legítimo que possa representar os interesses dos trabalhadores, este tipo de protestos voltará a acontecer”, alertou.

Os empregados da Jasic Technology também protestam contra os baixos salários e as más condições de trabalho.