O primeiro poster de cinema da história vai a leilão — e é toda uma história

Elo de ligação entre o momento da invenção do cinema, de uma indústria e dos seus espectadores, o poster de Henri Brispot inaugura a sessão dos irmãos Lumière. Sotheby's vende também cartazes de Saul Bass, Star Wars ou Blow-Up.

Fotogaleria
O cartaz para o Cinématographe Lumière Sotheby's
Fotogaleria

É uma das litografias mais importantes da história simplesmente porque anuncia um dos momentos-chave da invenção humana: o cinema. O primeiro poster de cinema de sempre vai a leilão dia 28 e conta uma história que tem como protagonistas não só os incontornáveis irmãos Lumière, mas também aqueles sem os quais o cinema acabaria em si mesmo – os espectadores.

PÚBLICO -
Foto
Henri Brispot

A data era 28 de Dezembro de 1895, o lugar era o Salon Indien do Grand Café do Boulevard des Capucines. O contexto era o da Belle Époque. A prosperidade era a tónica e a sua capital era Paris. A primeira sessão comercial de cinema dos Lumière realizava-se numa sala com uma tela branca, tal como hoje, com dez curtos filmes que teriam cerca de 50 segundos de duração cada. Um mês antes os seus congéneres alemães, os irmãos Skladanowsky, tinham também feito sessões com entrada paga em Berlim.

Auguste Marie Louis Nicolas Lumière e Louis Jean Lumière, já se sabe, tinham filmado operários a sair da sua própria fábrica ou um homem às cambalhotas. Entre os primeiros filmes alguma vez mostrados, estes são parte da história mundial e os espectadores parisienses daquela noite de fim do ano de 1895 viram-nos pela primeira vez numa sessão múltipla anunciada por um cartaz desenhado por Henri Brispot. O pintor francês já fora premiado em salões de pintura e representava cenas da vida quotidiana com um olhar suavemente irónico sobre um amante da boa comida ou um burguês que vê os operários trabalhar no seu jardim. Três anos depois de fazer o primeiro poster de cinema, o primeiro cartaz de uma sessão de filmes e conversas, seria reconhecido como Cavaleiro da Legião de Honra francesa.

Damas e cavalheiros, e até uma criança loira, estão no cartaz que mostra a curiosidade que fazia apinhar um foyer, mas também que nem todos poderiam entrar – ao centro do cartaz está um homem fardado, polícia resoluto, a impedir a passagem de um outro, um sacerdote. Porém, o retrato não é bem fiel da primeira sessão, que atraiu bastante gente mas não esgotou. Aliás, ficou mais de metade vazia, com 33 lugares de 100 ocupados.

PÚBLICO -
Foto
2001 - Odisseia no Espaço

Depois das reacções iniciais de espanto, até medo e alguma desconfiança, e do desinteresse da imprensa da época, nem uma semana depois a lotação estava mais do que esgotada, com milhares de parisienses ansiosos por ver a imagem em movimento numa mistura entre documentário, encenação e pequena ficção. Aí sim o ambiente do primeiro poster condiria com o da entrada das sessões Lumière, que pouco depois teriam lugar nas suas salas de cinema homónimas, inaugurando não só uma nova arte mas também uma nova indústria e novos serviços. Seis meses depois, a curta L'Arroseur Arrosé, de Louis Lumièretinha direito ao primeiro poster de um filme da história, desenhado por Marcellin Auzolle.

“O espectáculo deixou-nos a todos de boca aberta, aturdidos e surpreendidos”, como descreveu na altura o futuro cineasta George Méliès, numa citação recuperada pelo diário espanhol El País. “Quando terminou a apresentação foi um delírio, cada um de nós perguntava-se como tinham conseguido obter tal resultado.” A Sotheby’s vai levar à praça um testemunho desses primeiros momentos no seu leilão de dia 28, em Londres e on-line, onde vai vender 164 posters de cinema originais entre os quais figura o cartaz para o Cinématographe Lumière.

PÚBLICO -
Foto

Além desse poster estão disponíveis obras de autores incontornáveis do grafismo e design em torno dos filmes como Saul Bass como o emblemático Vertigo de Hitchcock ou O Homem do Braço de Ouro de Otto Preminger, e Robert E. McGinnis, cujo trabalho para os filmes de James Bond está presente em quatro exemplares. Há ainda muitos exemplares ligados ao cinema de animação, sobretudo da Disney, e a Pantera Cor-de-Rosa de Peter Sellers, bem como posters da trilogia original Star Wars, de Alphaville ou da estreia japonesa de Blow- Up ?– A História de um Fotógrafo.

PÚBLICO -
Foto