Explosão em Cabul mata 48 pessoas e fere 67

Estado de segurança no Afeganistão é preocupante. País vai ter eleições parlamentares em Outubro.

Um homem inspecciona o local onde aconteceu o ataque suicída
Foto
Um homem inspecciona o local onde aconteceu o ataque suicída HEDAYATULLAH AMID/EPA

Uma explosão em Cabul, numa zona de maioria xiita, fez pelo menos 48 mortos nesta quarta-feira. O ataque suicida na capital do Afeganistão é o mais recente de uma onda de ataques que assola o país e já matou centenas de civis, soldados e polícias nos últimos dias.

A explosão, que aconteceu junto de um centro educacional na região Oeste daquela cidade, destruiu uma grande estrutura que servia de sala de aula e tinha sido construída no pátio do centro, matando dezenas de adolescentes que estavam a estudar para o exame de entrada na universidade. A explosão, que pôs fim a semanas de relativa calma em Cabul, feriu ainda 67 pessoas, incluindo rapazes e raparigas estudantes.

“A maioria dos rapazes do centro educacional foram mortos”, disse Sayed Ali, que testemunhou a explosão. “Foi horrível e muitos dos estudantes ficaram feitos em pedaços.”

Os médicos dos hospitais da cidade, onde as pessoas se juntaram para procurar os seus familiares que estavam a estudar no centro, disseram que muitas das vítimas estavam gravemente queimadas.

“O meu irmão estava a estudar no centro e foi morto. Estou aqui para recuperar o seu corpo”, disse Abdul Khaliq, que estava à espera fora do hospital de Isteqlal.

Ainda ninguém reivindicou o atentado, mas a explosão tem todas as características de um ataque do Daesh, que conduziu anteriormente vários ataques a alvos xiitas. Os Taliban enviaram um comunicado negando estar envolvidos.

A explosão, que aconteceu quando a cidade de Ghazni, no Sudeste do país, luta para recuperar de cinco dias de uma batalha intensa entre os Taliban e as forças governamentais, sublinha o mau estado a que a segurança no Afeganistão chegou. O país vai ter eleições parlamentares a 20 de Outubro, daqui a dois meses.