Opinião

Marcelo foi à Volta

Fiquei à espera para ver se Marcelo espetaria dois beijos, um em cada bochecha do feliz galego. Conteve-se.

Marcelo foi à Volta e voltou à natação. No caso da Volta apareceu-nos casa adentro, sorridente, a comentar a vitória do ciclista da W52-FC Porto, Raúl Alarcón. Fantástico. Fiquei à espera para ver se Marcelo espetaria dois beijos, um em cada bochecha do feliz galego. Conteve-se. Sim, conteve-se; o calor, que não o calo, explicará a contenção do mais alto magistrado da nação.

Poderá haver quem não compreenda esta súbita atração de Marcelo pelo ciclismo, mas ele explicou a uma velhinha de Figueiró dos Vinhos que era uma coisa de família; um seu bisavô gostava de pedalar e daí ele achar que no seu gene está inscrita essa característica e era a explicação que tinha para o caso.

Por falar em família, Marcelo não fez como São Tomaz, virou-se para Santana e de forma muito subtil defendeu que não se abandona a família, que é coisa feia. Ele próprio, pai e filho do PPD/PSD, nunca o abandonou, nunca não, suspendeu a sua ligação à família. Suspendeu. Ele ligou para Pedro Passos e deve ter dito – vou suspender os meus passos para aí. Vão todos para Belém. E assim fez ele.

Santana, ao que consta, disse quem o ouviu comentar o comentário, grande coisa fez ele, era o que eu fazia se me apoiassem na família e fosse parar a Belém que é uma parte da minha identidade em matéria de ambições; já fui presidente do Sporting, não vejo que não pudesse ser de Portugal. Aliás, falei deste assunto muitas vezes com Sá Carneiro e se Deus quisesse até podia ter-se dado o caso e então sim eu suspendia-me, sim senhor.

Consta que depois daquele brutal esforço ou antevendo-o, Marcelo, em férias, lado a lado com as voltas da Volta, foi surpreendido por “ene” jornalistas, sobretudo das televisões, a dar uns mergulhos nas praias fluviais de localidades atingidas por fogos no ano passado. Imagino o sacrifício do nosso Presidente para dar umas braçadas, só no desempenho de altas funções é que o imaginamos a nadar...

Pode haver quem não compreenda esta atração pela Volta, porque não tem ADN na família para a pedalada e para suspender a família, nunca abandoná-la. Só ele.

O autor escreve segundo o novo Acordo Ortográfico