Benfica falha exame de aferição com derrota frente ao Lyon

Eusébio Cup teve muito Vlachodimos, três remates ao poste e uma recuperação incompleta, que deixa em aberto o balanço ideal mesmo à porta da Liga dos Campeões.

Foto
EPA/FILIPE FARINHA

O Benfica perdeu por 2-3 nesta quarta-feira, frente ao Lyon, em partida referente à Eusébio Cup, disputada no Estádio do Algarve, naquele que foi o último jogo antes do arranque oficial da época, encerrando simultaneamente a participação dos encarnados na International Champions Cup.

Apesar do golo de Pizzi (59') e da gentileza de Marcelo (64' p.b.), as "águias" acabaram por chumbar na prova de aferição, num teste exigente, sob temperaturas elevadas, encerrando a pré-época com a única derrota nos particulares disputados... Precisamente quando Rui Vitória pretendia tomar um pulso forte ao vice-campeão português, antes do primeiro grande exame para a Liga dos Campeões, frente aos turcos do Fenerbahçe, agendado para dia 7 de Agosto, na Luz.

O Benfica ainda conseguiu anular uma desvantagem de dois golos, como tinha feito com o Borussia Dortmund, mas Terrier (83') sentenciou a favor dos franceses, que se apresentaram sem Anthony Lopes e Fekir.

E notou-se a menor pressão no jogo dos franceses, que foram minando a confiança benfiquista que uma arrancada de Gedson tinha animado logo aos 8'. Apesar de não conseguirem subjugar os franceses, os encarnados surgiam sempre com perigo junto da área de Gorgelin, como atestam os remates ao poste: primeiro por Salvio (27') e depois por André Almeida (38'). 

Ao mesmo tempo, o Benfica tinha em Vlachodimos um esteio importante, com o guarda-redes alemão a travar todas as investidas de Mariano (17'), N'Dombélé (36') e Depay (38') e a assumir-se como figura das "águias" na primeira parte. Vlachodimos seria, contudo, impotente para evitar os dois golos do Lyon a cinco minutos do intervalo, com Marcelo (40') e Traoré (45') a punirem a ineficácia da formação portuguesa.

Com Jonas no banco e Ferreyra discreto, a ceder, inclusive, o lugar a Castillo na segunda parte, o Benfica tentava reentrar na discussão do jogo. Mas o poste direito voltava a negar o golo a Pizzi (46'), que se redimiu pouco depois (59'), concluindo um lance de Salvio. Um autogolo de Marcelo (64') renovava a esperança benfiquista, que desde 2012 não conquista a Eusébio Cup, mas a entrada em cena de Terrier revelou-se terrível para um Benfica a oscilar demasiado entre o nível pretendido e o indesejável.