José Eduardo Agualusa e Luís Cardoso entre finalistas do Grande Prémio APE

O Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLAB tem o objectivo de consagrar uma obra de ficção de um autor português.

José Eduardo Agualusa
Foto
José Eduardo Agualusa lm miguel manso

Os escritores José Eduardo Agualusa, Marlene Ferraz, H.G. Cancela, Carla Pais e Luís Cardoso são os finalistas do Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores (APE) 2017, foi esta quarta-feira anunciado.

O júri, constituído por Isabel Cristina Mateus, Isabel Ponce de Leão, José Carlos Seabra Pereira, José Manuel de Vasconcelos e Paula Mendes Coelho, reuniu-se na terça-feira e analisou um total de 72 obras, de 35 chancelas, que se apresentaram a concurso.

Dessa avaliação resultou uma lista de cinco obras finalistas: A Sociedade dos Sonhadores Involuntários, de José Eduardo Agualusa, As Falsas Memórias de Manoel Luz, de Marlene Ferraz, As Pessoas do Drama, de H.G. Cancela, Mea Culpa, de Carla Pais, e Para onde vão os gatos quando morrem, de Luís Cardoso.

O Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLAB (Direcção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas) é um prémio literário atribuído pela APE desde 1982, com o objectivo de consagrar uma obra de ficção de autor português, publicada no ano anterior à atribuição do prémio. Tem um valor pecuniário de 15 mil euros.

Em 2017, o romance vencedor foi Não se pode morar nos olhos de um gato, de Ana Margarida de Carvalho, que já três anos antes havia ganho o mesmo prémio, com o romance Que importa a fúria do mar.