Projecto "Por um Porto mais ciclável" lança petição em defesa do uso da bicicleta

Entre os objectivos constam também reformulações das ciclovias, mais ruas pedonais, construção de ciclovias ou ciclo faixas e mais bicicletários.

,
Foto
ba bruno almeida

O projecto "Por um Porto mais ciclável" vai apresentar-se este fim-de-semana nos jardins do Palácio de Cristal para "sensibilizar" a sociedade para o ciclismo urbano e recolher assinaturas para uma petição que pretende levar à Assembleia Municipal do Porto.

"Por um Porto mais ciclável" é um projecto que começou "muito recentemente" pela mão de João Soares, João Cruz e João Carvalho, com "o objectivo principal de realizar uma petição, recolhendo o número máximo de assinaturas para a apresentar à Assembleia Municipal" e "criar o assunto" do ciclismo urbano na cidade do Porto, informou João Soares, membro da organização.

A petição quer "defender o uso da bicicleta como meio de transporte dentro da cidade do Porto e proteger os ciclistas urbanos, locais e visitantes", pode ler-se no texto a que a Lusa teve acesso.

Entre os objectivos do documento constam também "reformulações das ciclovias já existentes, que não fornecem segurança aos ciclistas", "mais ruas pedonais e instalação de sinalética específica para proteger peões e condutores de bicicleta", "construção de ciclovias ou ciclo faixas, prioritariamente de grandes eixos", "instalação de um sistema municipal de bicicletas partilhadas para residentes" e "construção de mais e mais adequados bicicletários".

João Soares esclarece que "todo o projecto é activismo" e que "não se trata de uma manifestação pública" já que não pretende "criar alarido", mas sim "sensibilizar e consciencializar a sociedade em torno da questão do ciclismo urbano".

"Armar a jiga", o evento que estará durante sábado e domingo nos jardins do Palácio de Cristal, no âmbito do "Cidade+", foi o momento que o grupo encontrou para "conseguir juntar todos os interessados em ciclismo urbano num só dia" e assim dar a conhecer o projecto "Por um Porto mais ciclável" e começar a recolha das assinaturas para a petição.

"Fizemos a proposta ao "Cidade+", que nos aceitou, e a partir daí ganhamos toda uma outra motivação. Vamos estar no "Mercadeco", na Alameda das Tílias [nos jardins do Palácio de Cristal], junto com outras associações que pretendem dar a conhecer alternativas ecológicas às pessoas", revelou o responsável.

A petição "necessita de 2500 assinaturas" para poder ser apresentada na Assembleia Municipal e, nesse sentido, os organizadores já estabeleceram também contacto com várias oficinas de bicicletas e lojas de alugueres para recolherem apoio junto dos clientes das mesmas, afirmou João Soares, acrescentando que têm "o objectivo de reunir todas as assinaturas em três meses".

Questionado sobre os custos associados à implementação dos objectivos que propõem, responsável diz ter consciência de que "as coisas têm de ser feitas a pouco e pouco", que se trata de um "investimento que não será feito de um dia para o outro", mas que o próprio projecto sugere formas de conseguir "fundos", como por exemplo "pegar em parte das verbas da taxa turística e direccioná-las para o investimento nas ciclovias".

A programação do "Armar a jiga", no sábado, conta a apresentação pública do projecto, às 15h00, com uma sessão de esclarecimentos "com a presença de um representante da PSP" sobre os ciclistas e o código da estrada, às 15h30, com a presença de Mickey McConnell, um americano com experiência em ciclismo em vários países, às 16:h30, e com um passeio de bicicleta pela cidade, às 18h30.

Para domingo, o organizador afirma que "ainda não há programação" pelo que "vai ser uma surpresa para quem aparecer por lá".

"Cidade+" é um evento anual gratuito que celebra a sustentabilidade e o ambiente e que decorre nos jardins do Palácio de Cristal e no auditório da Biblioteca Municipal Almeida Garrett, contando com conferências, performances, oficinas, aulas abertas, concertos e exposições.