Há novas acusações contra Harvey Weinstein

Antigo produtor de cinema norte-americano encontra-se em liberdade condicional. Novas acusações podem valer uma condenação a uma pena de prisão perpétua.

Harvey Weinstein, Anthony Bourdain, Bill Cosby, cidade de Nova York, produtor de cinema
Foto
Reuters/Brendan McDermid

Há novas acusações contra Harvey Weinstein, o ex-produtor de cinema norte-americano de 66 anos que já se encontrava formalmente acusado de crimes de assédio e de abuso sexual. Segundo revelou o procurador distrital de Manhattan, Cyrus Vance, o episódio agora sob suspeita remontará a 2006. 

Em Maio, Weinstein já tinha sido acusado de violação e outros crimes sexuais contra outras duas mulheres. À data, o produtor afirmou que nunca forçou relações sexuais não consentidas e alegou a sua inocência face às acusações que poderão valer uma pena de 25 anos de prisão.

Agora, uma nova queixa de "agressão sexual predatória" comporta uma possível pena de dez anos a prisão perpétua.

“Esta acusação é resultado da extraordinária coragem das sobreviventes. A nossa investigação continua”, afirmou o procurador distrital em comunicado citado pela Reuters.

Para além das acusações pelas quais já estava a responder em tribunal, Weinstein é acusado de assédio e abuso sexual por parte de mais de 70 de mulheres. O caso impulsionou o movimento #MeToo e foi dado a conhecer através de reportagens publicadas no New York Times  e na New  Yorker. Os trabalhos jornalísticos acabariam por ser distinguidos com prémios Pulitzer de serviço público.

Weinstein saiu em liberdade após o pagamento de uma fiança no valor de um milhão de euros (cerca de 857 mil euros), sujeitando-se ainda à utilização de uma pulseira electrónica. Deverá voltar a tribunal a 20 de Setembro.