Gabinete de Fernando Medina também foi alvo de buscas da Judiciária

As diligências "não se afiguram centradas na actividade da autarquia", refere comunicado.

Fachada, janela, arquitetura clássica, monumento, história antiga
Foto
Daniel Rocha

O gabinete do presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, também foi alvo de buscas por parte da Polícia Judiciária no âmbito da operação Tutti-Frutti.

Até agora só se conheciam buscas no departamento do Urbanismo da autarquia, no Campo Grande. Mas afinal as autoridades estiveram também nos Paços do Concelho.

Numa nota de imprensa emitida há minutos, o departamento de comunicação do município não se alonga em explicações nem detalha os locais alvo de buscas. “Decorreram esta manhã buscas nas instalações da Câmara Municipal de Lisboa, no âmbito de inquérito promovido pelo Ministério Público”, refere o comunicado. “No âmbito destas diligências, que não se afiguram centradas na actividade da autarquia, a Câmara de Lisboa manifestou total disponibilidade e colaboração com as autoridades competentes, tendo facultado o acesso a toda a informação e documentação solicitada.”

Como o PÚBLICO noticiou, as buscas estendem-se a vários pontos do país, estando em causa suspeitas de crimes de corrupção passiva, tráfico de influência, participação económica em negócio e financiamento proibido. Vários autarcas do PSD foram buscados, o mesmo tendo sucedido ao deputado social-democrata Sérgio Azevedo.