Startup de compra e venda de livros usados replica modelo de negócio nas universidades

A Book in Loop promete lançar a UniLoop destinada a estudantes do ensino superior no primeiro semestre de 2019. Para já, inicia no dia 18 de Junho, mais uma campanha de manuais usados entre o 5º e o 12º anos de escolaridade .

Plataforma de compra e venda de livros escolares usados funciona essencialmente entre Junho e Setembro
Foto
Plataforma de compra e venda de livros escolares usados funciona essencialmente entre Junho e Setembro Enric Vives-Rubio

A Book in Loop – que criou um negócio de partilha de livros escolares usados em 2016 – anunciou que vai aplicar, no primeiro semestre de 2019, o mesmo conceito no mercado de livros das universidades e politécnicos. A nova empresa, UniLoop, funcionará durante todo o ano e a partir do primeiro semestre de 2019.

Será uma plataforma própria mas acessível através do site da Book in Loop (que funciona essencialmente nos meses do regresso às aulas, entre Junho e Setembro).

Ao mesmo tempo que anuncia a incursão por esse novo mercado do ensino superior,  a empresa inicia na próxima segunda-feira, dia 18, mais uma campanha de compra e venda dos manuais escolares usados mas em bom estado para os alunos que frequentam o ensino do 5.º ao 12.º anos no próximo ano lectivo. A entrega dos manuais usados decorre até 10 de Agosto, mas as encomendas poderão continuar a ser feitas enquanto houver stock

Na sua campanha de 2017 a Book in Loop movimentou cerca de 60 mil livros escolares – quatro vezes mais do que no ano anterior. Esta expansão levou a empresa “a preparar soluções inovadoras de economia circular para o mercado universitário” com o objectivo de "chegar aos 100 mil livros", afirma João Bernardo Parreira, que preside à empresa, citado num comunicado. 

O desafio, no ensino superior, será diferente: ao contrário do que acontece no ensino básico e secundário, o catálogo de livros do ensino superior não é fechado; além disso, as bibliografias também variam de instituição para instituição e até de professor para professor. Os preços não são definidos por portaria, há muitos livros estrangeiros e, com frequência, novas edições com actualizações.

À semelhança do que aconteceu na campanha para o ensino básico e secundário do ano passado, os livros podem ser entregues ou recolhidos na rede de supermercados Continente, Bom Dia, Modelo ou Note!, no âmbito de uma parceria com a Sonae (empresa proprietária do PÚBLICO).

Mais de 250 pontos de recolha 

O parceiro logístico continua a ser a distribuidora de publicações VASP, que dispõe de 600 quiosques espalhados pelo país para entregar livros restaurados a quem os comprou na plataforma. Esse é o número de pontos de entrega. Por sua vez, “o número de pontos de recolha de livros supera actualmente os 250 no país”, esclarece João Bernardo Parreira ao PÚBLICO. startup, que nasceu há dois anos com três trabalhadores, tem actualmente 30 pessoas a trabalhar “no pico dos meses de regresso às aulas”, acrescentou

Depois de preencher a guia no site da Book in Loop, podem deixar-se os livros usados em qualquer balcão de atendimento ao cliente dos supermercados abrangidos pela parceria. Os livros são vendidos a 40% do preço de venda ao público, ou seja, com um desconto de 60% em relação ao preço do livro novo. Metade desse valor é entregue às famílias, a outra metade é utilizada para financiar o projecto. 

Os livros não podem ter a capa rasgada, nem estar sublinhados a tinta ou ter etiquetas permanentes. Aqueles que não cumprirem estes requisitos, irão para a reciclagem.