Jardim recebe Medalha de Mérito da Região Autónoma da Madeira na segunda-feira

Cerimónia proposta pelo PSD-Madeira provocou críticas na oposição parlamentar madeirense. Medalha será entregue por Tranquada Gomes, presidente do Parlamento insular.

Alberto João Jardim, Funchal
Foto
dro daniel rocha

O presidente da Assembleia Legislativa, Tranquada Gomes, entrega nesta segunda-feira a Medalha de Mérito da Região Autónoma da Madeira ao ex-presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim, que governou o arquipélago entre 1978 e 2015.

A cerimónia decorrerá no Salão Nobre da Assembleia Legislativa da Madeira (ALM) tendo sido decidida pela Comissão Permanente a 4 de Maio. O plenário da ALM foi depois chamado a pronunciar-se sobre a decisão da Comissão Permanente na sequência de um recurso interposto pelo deputado não-inscrito Gil Canha (ex-PND) que pretendia revogar a deliberação por considerar que o ex-governante foi quem "mais desrespeitou" o Parlamento regional. Mas o recurso acabou por ser chumbado pelos deputados do PSD, CDS/PP e PS.

Alberto Jardim foi presidente do Governo Regional da Madeira entre Março de 1978 e Abril de 2015, tendo-lhe sucedido o também social-democrata Miguel Albuquerque, que ganhou as eleições internas no partido a 29 de Dezembro de 2014 e as legislativas regionais antecipadas a 29 de Março de 2015.

A 10 de junho de 2014, Dia de Portugal, ao cumprir 13.310 dias de poder desde que assumira a presidência do Governo Regional, a 17 de Março de 1978, Alberto João Jardim tornou-se no político português com mais tempo no governo desde 1910, ultrapassando Oliveira Salazar.

Considerado o "pai fundador", o "estratega" e o "arquitecto" da autonomia política da Madeira, Alberto João Jardim é também visto como o político do "quero, mando e posso" e o responsável por uma dívida de 6,3 mil milhões de euros na sequência da qual a Madeira teve de se submeter, a partir de 2011, a um programa de assistência financeira com pesadas medidas fiscais para madeirenses e porto-santenses e a extinção de algumas medidas autonómicas que até então vigoravam.

Alberto João Jardim é também lembrado como um político "enérgico" na defesa dos direitos da Madeira face à República Portuguesa.

O ex-presidente do Governo regional nasceu em 1943, licenciou-se em Direito pela Universidade de Coimbra, e foi, entre outros cargos, professor, jornalista, dirigente cooperativo, co-fundador do PPD-PSD e presidente, entre 1987 e 1996, da Conferência das Regiões Periféricas e Marítimas da União Europeia e recebeu várias condecorações e distinções pela sua vida política.