Salvador Sobral lança single na véspera do regresso à Eurovisão (e do dueto com Caetano)

O músico de 28 anos espera lançar um novo álbum em Outubro deste ano. Até lá, revela o tema Mano a mano, no mesmo dia em que ensaiou o espectáculo de sábado com Caetano Veloso.

,
Foto
Os dois músicos estiveram a ensaiar a canção vencedora da última edição, que regressa ao palco da Eurovisão este sábado Imagem retirada do Facebook de Caetano Veloso

Salvador Sobral lançou esta quinta-feira o seu novo single, o primeiro depois de ter estado afastado dos palcos durante oito meses e na véspera de subir ao palco com Júlio Resende e Caetano Veloso na final do Festival Eurovisão da Canção. A canção Mano a mano tem letra de Maria do Rosário Pedreira e música de Júlio Resende, o compositor e pianista que com Salvador forma a banda Alexander Search.

O novo single do músico português é uma antecipação do álbum que deverá ser publicado em Outubro.

Em entrevista ao PÚBLICO esta quarta-feira, Salvador dizia não ter ainda a certeza se iria cantar o novo tema no palco da Altice Arena, na cerimónia da Eurovisão. “O que está certo é que vamos cantar o Amar pelos dois, com o Júlio ao piano. É uma raridade na Eurovisão, haver alguém a tocar mesmo um instrumento, porque a base instrumental é sempre em playback”, acrescentou.

Mano a mano é uma produção musical de Joel Silva — também parte do projecto Alexander Search —, André Rosinha no contrabaixo e Bruno Pedroso na bateria. A canção marca o regresso do músico português de 28 anos, depois de se ter afastado por razões de saúde.

Também nesta quinta-feira, Salvador encontrou-se com o músico brasileiro Caetano Veloso para juntos ensaiarem a canção vencedora da última edição da Eurovisão, Amar pelos dois. No vídeo partilhado por Caetano Veloso, os dois músicos cantam ao lado de um piano, tocado por Júlio Resende. Na sala estão também a irmã de Salvador e compositora da música vencedora, Luísa Sobral, e o músico Janeiro, escolhido por Salvador Sobral para concorrer ao Festival da Canção. 

Ainda antes de ser conhecida a inédita vitória portuguesa, Caetano Veloso já se tinha declarado rendido ao talento do músico português, era “bom demais”. O português diria mais tarde que as palavras do brasileiro valiam mais do que o primeiro lugar no festival. Os dois acabariam por se conhecer meses depois, em Lisboa, onde partilharam admiração mútua.