Bill Cosby pagou 3,4 milhões de dólares a mulher que o acusa de violação

O comediante norte-americano é acusado por dezenas de mulheres, mas a maioria dos crimes já prescreveram.

Novo julgamento de Bill Cosby arrancou esta segunda-feira
Foto
Novo julgamento de Bill Cosby arrancou esta segunda-feira Reuters/JESSICA KOURKOUNIS

O comediante Bill Cosby pagou, em 2006, 3,4 milhões de dólares a uma mulher que o acusa de abuso sexual. O acordo entre Cosby e Andrea Constand, actualmente com 44 anos, foi revelado pelos procuradores no início do julgamento no condado de Montgomery na Pensilvânia, EUA nesta segunda-feira.

O julgamento de Cobsy acontece num momento de consciencialização social para o problema do assédio desencadeado pelo caso Weinstein. Andrea Constand é uma das pelo menos 50 mulheres que afirmam que Cosby as drogou e violou nas décadas de 1960, 70 e 80. Andrea Constand acusa o actor de a ter drogado com comprimidos, para depois a violar.

Kevin Steele, procurador distrital que conduz o processo, deu conta do acordo de pagamento e poderá usá-lo como prova de uma eventual admissão de culpa por parte de Cosby.

O julgamento desta segunda-feira arranca depois de o primeiro, em Junho do último ano, ter sido anulado porque o júri não chegou a uma decisão unânime, após seis dias de depoimentos e 52 horas de deliberações.

O caso de Andrea Constand é o único a resultar num julgamento, porque todos os outros crimes já prescreveram (na Pensilvânia, estado em que decorre o julgamento, 12 anos é o limite para este tipo de crime).

A defesa de Cosby apostou, sem surpresas, na descredibilização de Constand e tem até agora acusado a mulher de procurar apenas uma grande indemnização do actor. No entanto, o pagamento de 3,4 milhões de dólares (2,8 milhões de euros) conhecido nesta segunda-feira por parte de Cosby, que garante que todos os encontros sexuais foram consensuais, pode fragilizar este argumento.

Antes do julgamento, Nicolle Rochelle, que integrou quatro episódios da série The Cosby Show, onde Bill Cosby era o patriarca respeitado da família, protestou à entrada do comediante no tribunal. Rochelle, de 39 anos, saltou uma das barreiras de segurança e gritou. No peito tinha escrito nomes das dezenas de mulheres que acusam Cosby de abusos sexuais. Foi interceptada e algemada pela polícia.

Os argumentos da defesa do entertainer são apresentados em tribunal nesta terça-feira.