Feridos no despiste de autocarro estão fora de perigo

Secretário de Estado adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, mostrou-se convicto de que estudantes vão ter alta nas próximas horas, à excepção de uma jovem. Um estudante de 20 anos morreu na sequência do despiste.

Foto
Os jovens vinham de Huelva, na zona espanhola de Andaluzia LUSA/NUNO VEIGA

Parecem estar fora de perigo os feridos graves que resultaram do despiste de um autocarro que transportava 48 estudantes, no concelho de Nisa, perto da barragem do Fratel. Um jovem de 18 anos morreu neste acidente que provocou ainda mais de 30 feridos ligeiros e obrigou à assistência no local de 15 estudantes.

Ao início da noite, o secretário de Estado adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, que se deslocara ao Hospital de Abrantes, declarou ao PÚBLICO que os feridos mais graves estavam aparentemente fora de perigo. “Quer os 12 feridos que deram entrada no hospital de Abrantes quer os 15 estudantes e o motorista encaminhados para Portalegre não parecem ter lesões de maior e deverão ter alta nas próximas horas”, adiantou.

Por essa hora, cerca das 22h, tinham já sido afastadas também as preocupações relativamente a uma estudante que sofrera um traumatismo crânio-encefálico: “Ficará seguramente internada, mas está estável e consciente e os exames não demonstraram nenhuma lesão major”, acrescentou Araújo, que mobilizara duas equipas de psicólogos para apoiar as vítimas e respectivos familiares.

Mais de 30 dos estudantes acidentados eram finalistas da escola secundária Frei Heitor Pinto, na Covilhã, e os restantes frequentavam outra escola do concelho de Belmonte. A viagem foi organizada pela X Travel, uma empresa especializada em viagens de finalistas, que, ao início da noite, segundo adiantou ao PÚBLICO, estava ainda a tentar apurar as causas do capotamento do autocarro.

O motorista e os estudantes vinham de Huelva, na zona espanhola de Andaluzia, onde decorrera o “Festival Village”. Trata-se de um evento que dura seis dias e, como noticiava anteontem o jornal espanhol El Confidencial, eram esperados no evento cerca de 10 mil adolescentes portugueses na praia de Punta Umbría, para um evento cujas receitas estão calculadas na ordem dos quatro milhões de euros, de acordo com fontes citadas pelo mesmo jornal que atribui a organização do evento à portuguesa X Travel Pure Fun, que tem por detrás o criativo João Rosa. 

É, acrescentava o Confidencial, "uma máquina de fazer dinheiro que se tornou moda entre os jovens portugueses que procuram despedir-se do secundário num recinto com vistas de mar". 

Ao início da noite, o trânsito continuava interrompido no IP2 onde decorriam ainda as operações de reboque do autocarro acidentado. Apesar da chuva forte e de se tratar de uma zona “de forte sinistralidade”, conforme descreveu o comandante distrital de operações de socorro de Portalegre, Rui Conchinha, pouco se sabia ontem quanto às causas do acidente, cuja investigação foi remetida para o Núcleo de Investigação de Crimes de Acidentes de Viação da GNR.