Revista de imprensa

Lisboa e Porto têm mais turistas por residente do que Londres e Barcelona

Em Lisboa há nove turistas por cada residente, no Porto há oito. Em Albufeira, no Algarve, há 39 turistas por morador. Londres recebe apenas quatro visitantes por cada residente e Barcelona cinco.

No Porto, há 228 turistas por quilómetro quadrado
Foto
No Porto, há 228 turistas por quilómetro quadrado Nelson Garrido

Em Lisboa, cidade que recebe 4,5 milhões de turistas por ano, há nove turistas por cada residente. Ao Porto chegam 1,6 milhões de turistas por ano, e, por cada morador, há oito visitantes. Os números são do Instituto do Planeamento e Desenvolvimento do Turismo (IPDT), que calculou a pressão turística sobre as cidades portuguesas e as comparou a outras cidades europeias. Os resultados do estudo são avançados pelo Jornal de Notícias e são apresentados oficialmente nesta quarta-feira, em Gaia, no Fórum Internacional do Turismo.

“Perante as discussões recentes sobre se há ou não turismo a mais, quisemos estudar o assunto de uma forma desapaixonada e fornecer dados capazes de orientar decisões informadas, para que o turismo possa continuar a crescer e a beneficiar o país com resultados e harmonia”, disse o presidente do IPDT, António Jorge Costa, ao JN.

O IPDT calculou o número de turistas em simultâneo, por dia, em cada destino, tendo em consideração o número de chegadas aos aeroportos e a média de estadia em cada destino.

O Porto recebe 4500 turistas por dia e a estada média de cada um faz com que, em simultâneo, se concentrem 9041 visitantes diariamente na Invicta. Os números assemelham-se aos de Dubrovnik, na Croácia, que recebe 9194 turistas em simultâneo. A cidade croata, património da Humanidade, teve que impor, por conselho da UNESCO, um limite de 4000 visitantes por dia.

Em Londres, por cada morador há apenas quatro turistas. É um dos destinos mais procurados na Europa, mas os 470 mil turistas que recebe diariamente não requerem medidas especiais.

No Porto, a maioria dos turistas concentra-se numa área de “dois ou três quilómetros”, conforme explica o presidente do IPDT ao JN, “dos Aliados à Praça Carlos Alberto e até ao rio”. A concentração de turistas por quilómetro quadrado é um dos maiores desafios das cidades portuguesas. Mostram os números que, no Porto, há 228 turistas por quilómetro quadrado. Em Lisboa, o número ascende aos 300 turistas por quilómetro quadrado. Em Albufeira, no Algarve, são 158 turistas por quilómetro quadrado.

É na cidade algarvia que o despovoamento dos centros históricos mais se acentua. É que ao contrário do que acontece em Lisboa e Porto, Albufeira tem 39 turistas por cada um dos seus 40 mil residentes. Por contraste, em Barcelona e Praga há cinco turistas por residente. Já Veneza, que perdeu 41% dos residentes entre 1980 e 2016, tem 177 visitantes por morador.

Apesar do despovoamento, há pontos positivos. Por exemplo, em Portugal, a taxa de desemprego baixou quando os proveitos da hotelaria aumentaram. O valor do limiar da pobreza também aumentou de 4937 euros para 5442 euros anuais. “Ninguém vai querer matar a galinha dos ovos de ouro do turismo, porque, comprovadamente, diminui o desemprego e eleva o limiar da pobreza”, considera o líder do IPDT.