Torne-se perito

Prejuízo em infra-estruturas agrícolas algarvias é de 3,6 milhões

Portaria que enquadra o tipo de apoios aos agricultores afectados vai ser publicada na terça-feira.

Foto
Lusa

O ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural disse neste sábado que existe um prejuízo calculado de 3,6 milhões de euros nas infra-estruturas de 60 explorações agrícolas do Algarve afectadas pelo mau tempo, na semana passada.

"Segundo o processo de levantamento dos danos causados pelo mau tempo, existe um prejuízo calculado de 3,6 milhões de euros em infra-estruturas, em 60 explorações agrícolas de cinco concelhos da região", afirmou o ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos, à agência Lusa.

O levantamento dos prejuízos causados pelo mau tempo, em 4 de Março, foi efectuado desde segunda-feira pelos técnicos dos serviços regionais do ministério, nos municípios de Faro, Olhão, Tavira, Castro Marim e Vila Real de Santo António, e concluído na sexta-feira.

O ministro da Agricultura adiantou também que a portaria que enquadra o tipo de apoios aos agricultores afectados vai ser publicada na próxima terça-feira, em Diário da República. "Os agricultores afectados terão um prazo de 20 dias para apresentarem uma candidatura aos apoios", sublinhou Luís Capoulas Santos.

Os subsídios a fundo perdido serão de 100% para explorações com prejuízos até 5000 euros, de 85% para prejuízos entre 5000 e 50.000 euros, e de 50% para prejuízos entre 50.000 e 800.000 euros.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, visitou neste sábado uma das explorações agrícolas afectadas, na zona da Galvana, no concelho de Faro, comentando o compromisso assumido pelo Governo.

"A portaria está pronta e vai avançar. Foi um compromisso assumido pelo Governo, que, aliás, logo se colocou no terreno", disse o chefe de Estado, que pediu "ânimo" aos agricultores afectados.

Sugerir correcção