Torne-se perito

Londoño está doente e a FARC desiste de ter candidato à presidência

Partido ainda não decidiu se apoia outro partido nas eleições presidenciais de Maio.

Rodrigo Londoño
Foto
Rodrigo Londoño Mauricio Duenas Castaneda/EPA

A FARC (Força Alternativa Revolucionária Comunitária, partido em que se refundou a antiga guerrilha), não vai apresentar candidato às eleições de Maio na Colômbia. Num comunicado, o grupo anunciou que o seu líder histórico e candidato, Rodrigo Londoño, está doente com um problema cardíaco. 

Londoño — que era conhecido como "Timochenko", de 59 anos —, foi operado na semana passada, depois de ter sofrido um ataque cardíaco.

O seu estado de saúde “levou-nos a retirar a nossa aspiração à presidência”, disse o antigo comandante Ivan Marquez, que é candidato ao Senado nas legislativas que se realizam no domingo.

A cirúrgia correu bem e Londoño está a recuperar "de forma satisfatória", fez saber em comunicado a clínica de Bogotá onde foi operado. Está, porém, a fazer terapia respiratória intensiva. 

Em Fevereiro, Londoño tinha cancelado a sua campanha mas não por motivos de saúde — os seus comícios estavam a ser alvo de ataques por parte de grupos que são contra a paz assinada entre o Presidente Juan Manuel Santos (que está de saída do cargo) e a guerrilha. Londoño estava no fundo da tabela das intenções de voto nas sondagens. O grupo ainda não fez saber se apoia outro candidato.