Twitter promete resolver burlas com criptomoedas

Uma conta tentava passar-se por Elon Musk e prometia devolver o dobro dos fundos que lhe fossem enviados.

Foto
A possibilidade de enriquecer com criptomoedas tem levado várias pessoas a ser enganadas Reuters/DADO RUVIC

O Twitter está a tentar travar o número crescente de burlas relacionadas com bitcoins e outras criptomoedas, removendo algumas contas que tentam enganar os utilizadores da plataforma.

Nos últimos tempos, vários vigaristas têm-se feito passar por celebridades, ao criar contas com imagens e nomes de utilizador semelhantes ao de pessoas famosas. Entre os casos recentes, estava uma conta a fingir ser o empresário Elon Musk, que pedia às pessoas para doar uma pequena quantia da moeda virtual ether, em troca de um valor maior. “Só durante o dia de hoje, decidi doar 3000 ETH [cerca de 1,9 milhões de euros] aos meus fãs. Basta enviarem entre 0,5 a 4,0 ETH para a minha conta e devolvo entre 5-40 ETH”, lê-se na mensagem.

“Estas burlas estão a ficar fora de controlo”, queixou-se no Twitter Emin Gün Sirer, um professor da Universidade de Cornell, nos EUA, que se foca em tecnologia de blockchain. “Se falham em detectar burlas assim tão óbvias, qual é o futuro da vossa plataforma?”

O presidente executivo do Twitter, Jack Dorsey, frisou que a rede social está a par das tentativas de fraude. “Estamos a tratar do assunto”, escreveu, em resposta às criticas de Sirer.

O interesse pela bitcoin é actualmente menor do que no final de 2017, quando cada criptomoeda chegou a rondar os 20 mil dólares. De acordo com o site CoinMarketCap, às 15h00 de sexta-feira, o valor da bitcoin rondava os 10.600 dólares. Já a ether – também conhecida como ethereum – rondava os 790 dólares.

No final de Janeiro, o Facebook optou por proibir todo o tipo de publicidade sobre criptomoedas na rede social, porque os anúncios estavam “frequentemente associados a promoções desleais ou enganosas”. Tal como com o Twitter, o problema terá sido a proliferação de anúncios com promessas falsas na rede social: “Use a sua reforma para comprar bitcoin!”, "Novo ICO! Compre Agora!” são alguns exemplos.

O Twitter, porém, acabou por bloquear temporariamente algumas contas legítimas sobre o serviço. A @bitcoin, que publica informação sobre o valor e notícias associadas à criptomoeda, foi um dos casos.