Alexander Wang ressuscita um acessório do passado

No desfile da colecção de Inverno 2018, este sábado, o criador apresentou um acessório de cabelo dos anos 1980 e 1990.

Foto
A maioria das modelos usavam clips no cabelo, no desfile de sábado Getty

As tendências dos anos 1980 e 1990 têm voltado às passerelles e páginas das revistas nos últimos meses – inclusive um acessório de beleza menos unanimemente tido como aceitável para usar na rua, o elástico de tecido (também conhecido como scrunchie, em inglês). Ora, no desfile de sábado, as modelos de Alexander Wang desfilaram com molas gigantes no cabelo.

O criador norte-americano, que começou a carreira em moda como estagiário da Vogue e Teen Vogue, ocupou a antiga sede da Condé Nast – empresa que publica as revistas – e apresentou uma colecção supostamente inspirada no ambiente corporativo, com silhuetas justas e outras inesperadas e uma toque de athleisure. Há alguns dias o próprio criador partilhou uma fotografia no Instagram com uma camisola com as letras "CEO", escrevendo, "quando não és o CEO, mas queres vestir-te como um". No cabelo, várias modelos usavam clips gigantes, com um acabamento prateado e o logótipo da marca.

"Isto é a interpretação do Alex Wang da power woman (mulher com poder), mais ou menos inspirado pelos anos 1980, quando pela primeira vez vimos empoderamento feminino no escritório", comenta o hairstylist Guido Palau, citado pela Fashionista. Estes clips "na altura eram novidade e depois ganharam uma má conotação; estamos a vê-los com outros olhos", acrescenta.

Segundo o cabeleireiro, nem todas as modelos conheciam o acessório de cabelo. Para quem tenha vivido nos anos 1980 e 1990 – e copiado todos os penteados de Rachel, em Friends – está na altura de ir recuperar os clips ao baú. Como escreve a Harper's Bazaar, "nada é cool até a Rihanna ou o Alexander Wang dizerem que é". Resta saber se serão vendidos pela marca.

PÚBLICO -
Foto

De resto, um dos outros momentos mais comentados na Internet foi o encontro improvável entre a rapper Cardi B e a directora da Vogue, Anna Wintour, que assistiram lado a lado ao desfile. No Twitter, alguns utilizadores confessavam que dariam tudo o que tinham para ter ouvido a conversa entre as duas, enquanto outros começavam a campanha para Cardi B ser a capa de Setembro da Vogue. Outros ainda comentavam como a editora de moda – que nem sempre aparece sorridente em fotografias – parecia bem-disposta por estar ao lado da cantora.