Obras no Palácio da Ajuda arrancam na segunda-feira

Para já, as obras não afectam a circulação automóvel na Calçada da Ajuda.

O actual palácio foi mandado construir por D. João VI e nunca foi terminado
Foto
O actual palácio foi mandado construir por D. João VI e nunca foi terminado RUI GAUDENCIO

As obras no topo nascente do Palácio Nacional da Ajuda começam na segunda-feira, confirmou ao PÚBLICO a Associação de Turismo de Lisboa (ATL), dona da obra, responsável por instalar no futuro espaço a exposição com as jóias da Casa Real.

Esta quinta-feira foi enviado um e-mail aos funcionários da Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC), que funciona no edifício, a dar conta de que “será dado início às obras” e que “a partir do próximo dia 29 de Janeiro de 2018” o acesso ao palácio pela Calçada da Ajuda estará fechado. Esta primeira fase das obras, sabe o PÚBLICO, não deverá afectar a circulação automóvel naquela rua. A única alteração para o exterior, a avaliar pelo e-mail enviado aos funcionários, é mesmo no acesso ao monumento – os visitantes só poderão entrar no palácio pelo Largo D. Carlos.

Na segunda-feira, a ATL fará formalmente a consignação desta primeira fase do projecto à empresa vencedora do concurso público, que se encarregará de começar a  montar o estaleiro.

Quando foi anunciado o projecto de remate para o palácio, por concluir há mais de 200 anos, previu-se que em Dezembro de 2018 as obras estivessem já terminadas, um prazo que agora parece difícil de cumprir. O projecto tinha um orçamento inicial de 15 milhões de euros: uma parte proveniente da taxa turística de Lisboa, outra do Ministério da Cultura, outra ainda de capitais próprios da ATL, que também se responsabilizou por encontrar formas de financiar o restante.