Os homens de Rio: alguns estiveram sempre lá, outros chegaram há muito menos tempo

Dez nomes incontornáveis na equipa que acompanhou Rui Rio na campanha para as directas.

Foto
Rio foi eleito líder do PSD em directas com 54% dos votos LUSA/FERNANDO VELUDO

O seu discurso de vitória inflamou o PSD, mas quem conhece Rui Rio diz que ele pode ter sido mal percebido. Ao dizer que o partido “não foi fundado para ser um clube de amigos”, estaria o novo líder a falar para o grupo de Pedro Passos Coelho ou para as "lapas" que se juntaram à sua volta em período pré-eleitoral? É o que se verá nos próximos tempos. Para já, uma informação importante: quem são os homens — e a mulher — que contam mais na entourage de Rio e desde quando.

Hugo Carneiro

Descrito como uma espécie de Rui Rio em versão mais jovem. É o homem das contas e esteve com Rio na Câmara do Porto, como adjunto, no seu último mandato. Ajudou a lançar a candidatura de Rui Moreira.

Álvaro Amaro

Líder dos Autarcas Sociais-Democratas, é autarca na Guarda e, antes, foi presidente da Câmara de Gouveia. Foi próximo de Marques Mendes e é uma das pessoas que Rui Rio mais ouve neste período.

David Justino

É amizade antiga — foram ambos deputados na legislatura 1999/2002, chegando a partilhar gabinete — e foi a ele que o líder eleito do PSD confiou a redacção da sua moção estratégica. E, ao que o PÚBLICO apurou, a impressão que Justino causou em Rio foi muito positiva. Este ex-ministro foi também assessor de Cavaco Silva nos dez anos em que este esteve em Belém.

Castro Almeida

Rui Rio e Castro Almeida têm feito uma longa caminhada juntos. Estiveram o mesmo número de anos no Parlamento e saíram ao mesmo tempo para duas autarquias diferentes. Falam com frequência. Castro Almeida é o homem que domina a pasta da descentralização.

António Tavares

Está ao lado de Rui Rio há muitos anos — tal como Rui Nunes —  e tem uma grande sensibilidade social que transformou em contributos para a moção de estratégia global do líder. Além da experiência política que já acumulou, é também provedor da Santa Casa da Misericórdia do Porto e professor universitário.

Vladimiro Feliz

Fez parte da estrutura de campanha, com a pasta do site e das novas tecnologias, mas acompanha Rio desde a Câmara do Porto. Aí, foi seu director municipal, seu vereador e seu vice-presidente. Curiosamente, entrou nas listas do ex-autarca na quota da JSD.

Salvador Malheiro

É recente nas relações políticas de Rui Rio, mas também o é no PSD. Foi escolhido para dirigir a campanha interna e para ser seu porta-voz. É um dos vencedores da noite de 13 de Janeiro. É presidente da Câmara de Ovar e líder da distrital de Aveiro.

Pedro Alves

Este professor do ensino básico e secundário é apontado, tal como Emídio Guerreiro, como o possível secretário-geral de Rui Rio. Preside à distrital de Viseu do PSD e é deputado há quatro legislaturas. Conhece bem as estruturas locais, o que foi muito importante para a vitória de Rio.

Feliciano Barreiras Duarte

Barrosista de base, Feliciano Barreiras Duarte chegou a ser chefe de gabinete de Pedro Passos Coelho, mas a desilusão com o passismo levou-o a aproximar-se de uma alternativa, neste caso a protagonizada por Rui Rio. É especialista em assuntos de imigração — foi secretário de Estado dessa área. Não houve muitos deputados a assumirem a preferência pelo autarca nortenho, mas Feliciano Barreiras Duarte foi um deles. Marques Guedes e António Leitão Amaro foram outros dois.

Florbela Guedes

Foi assessora de imprensa de Rio Rio na Câmara do Porto e foi a ela que  o ex-autarca recorreu para esta campanha. O nível de confiança entre os dois é muito alto, o que é importante, atendendo à relação difícil que Rio tem com os media.