Leonardo DiCaprio volta a trabalhar com Tarantino

Nono filme do realizador de Django Libertado terá como fundo os crimes do clã Manson.

Leonardo DiCaprio com Jamie Foxx em <i>Django Libertado</i>
Foto
Leonardo DiCaprio com Jamie Foxx em Django Libertado DR

Não é propriamente uma surpresa, apenas mais um passo na cuidada estratégia publicitária de lançamento do novo – e 9.º – filme de Quentin Tarantino: Leonardo DiCaprio está confirmado como protagonista da próxima longa-metragem do realizador de Django Libertado (2013), que, como já tinha sido noticiado, contará uma história contemporânea dos homicídios perpetrados pelo clã de Charles Manson (1934-2017) em Agosto de 1969.

Depois de ter já sido apresentado no ano passado, ao lado de Brad Pitt e Tom Cruise, como uma das possibilidades para encabeçar o elenco artístico do filme, a imprensa norte-americana noticia agora o regresso de DiCaprio ao plateau de Tarantino, depois de Django Libertado. O protagonista de O Renascido (Alejandro G. Iñárritu, 2015), filme que lhe valeu o primeiro Óscar, vai interpretar a personagem de um velho actor de televisão à procura de um lugar na fábrica de sonhos de Hollywood nesse Verão de 1969, na mesma altura em que um grupo de membros do bando de Manson invadiu a casa do realizador Roman Polanski em Beverly Hills, assassinando a sua mulher, a actriz Sharon Tate, e mais quatro pessoas.

Parece também confirmada a actriz australiana Margot Robbie (que contracenou com DiCaprio em O Lobo de Wall Street) no papel de Sharon Tate. E a revista Variety acrescenta mesmo o nome de Al Pacino para o casting de um filme que, por enquanto, continua a ser apenas designado como #9, ou, como surge no site InternetMovieDatabase (IMDb), Untitled Quentin Tarantino/1969 Project.

Recorde-se que o realizador de Os Cães Danados, que já anunciou publicamente a intenção de se retirar depois de fazer a sua 10.ª longa-metragem – há quem fale num novo western, e também quem aponte para um novo capítulo da saga Star Trek –, disse que o novo filme não será um biopic de Charles Manson, que morreu em Novembro do ano passado. Mas a estreia mundial está já anunciada para o dia 9 de Agosto de 2019, em que passarão 50 anos sobre os crimes comandados por Manson.

Outra curiosidade do novo opus de Tarantino é ele ser produzido pela Sony – que ganhou a corrida à concorrência da Warner Bros. e da Paramount –, e já não pela Weinstein Company, dos irmãos Bob e Harvey, este último caído em desgraça na sequência das acusações de agressão sexual que vêm marcando a actualidade da indústria cinematográfica norte-americana, e não só, nos últimos meses.

Além do Untitled Quentin Tarantino/1969 Project, DiCaprio tem também na sua agenda inscrita no IMDb dois novos filmes realizados por Martin Scorsese, com quem tem vindo a trabalhar recorrentemente. São eles Roosevelt, em que interpreta a figura do Presidente americano que liderou a entrada dos Estados Unidos na 2.ª Guerra Mundial, e, ainda em pré-produção, The Black Hand, em que fará de um agente da polícia numa história adaptada do livro homónimo de Stephan Talty.