RMS St Helena chama a ilha de Gough, escuto

Maria João Gaspar e José Filipe de la Fuente estão a bordo do Royal Mail Ship. Este é o relato da última viagem do navio até Tristão da Cunha, ilha perdida no Atlântico Sul.

Fotogaleria
Ilha de Gough José Filipe de la Fuente
Fotogaleria
José Filipe de la Fuente

“Ilha de Gough, ilha de Gough, aqui RMS St Helena no canal 6, escuto.” O comandante Williams continua a tentar a comunicação com a equipa da estação meteorológica sul-africana, mas não obtém resposta. São 6h30, chove, Gough está envolta em densas nuvens brancas e os seus seis meteorologistas, estacionados na ilha em comissões de um ano, não têm muitos motivos para estar acordados.

Ao contrário da maioria dos passageiros do RMS, que se levantou às cinco da manhã para avistar o primeiro vislumbre de terra em cinco dias. Infelizmente, o Atlântico Sul fez jus à sua fama e o sol radioso de ontem deu lugar a este céu fechado que mal deixa ver a ilha. À medida que nos aproximamos, a vaga mancha escura no horizonte torna-se mais nítida e por entre a bruma surgem escarpas verdes com grandes cascatas que se despenham no oceano. Em torno da ilha, vários rochedos de formas fantásticas evocam histórias de piratas e naufrágios. E, à volta do navio, os albatrozes continuam os seus voos que ora rasam o mar, ora se elevam no céu, hoje acompanhados por grupos de focas que nos parecem brincar nas ondas, à maneira dos golfinhos. A latitude é 40º 19’ S, estamos nos roaring forties e nota-se; o vento fustiga-nos, a água escorre de um lado para o outro do convés, e não deve haver muitas maneiras melhores de começar um dia.

Depois de várias tentativas, o comandante resolve utilizar uma técnica mais prosaica e faz soar repetidamente a sirene do navio. Finalmente, ouvem-se ruídos, através do rádio. “Ilha de Gough, ilha de Gough, aqui RMS St Helena no canal 6. Tenho comigo a governadora de Santa Helena, Ascensão, Tristão da Cunha e ilha de Gough, para falar convosco.” “RMS St Helena, aqui Ilha de Gough, escuto”, responde uma voz feminina e algo surpreendida, do outro lado. Os passageiros e tripulação, reunidos na ponte, aplaudem.

Sua Excelência Lisa Phillips - uma mulher de trato informal, muito longe da ideia colonial do representante real com chapéu de penas - é o 68.º governador de Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha e a primeira mulher a ocupar o cargo. Está a bordo do RMS St Helena porque regressa de Inglaterra, onde recebeu do Príncipe de Gales o título de Comandante da Ordem do Império Britânico pelo seu trabalho na promoção das mulheres durante o mandato como responsável no Quénia pelo Departamento Inglês para o Desenvolvimento Internacional.

PÚBLICO -
Foto
Estação meteorológica na ilha de Gough José Filipe de la Fuente

“Daqui fala a governadora. Tive oportunidade de falar com a estação em 2016, na viagem para Santa Helena, para assumir o meu cargo e esta será provavelmente a última vez que consigo vir até aqui. Gostaria de vos desejar, em nome de todos aqui no navio, um Feliz Ano Novo e que tudo corra bem. Por favor, transmita os meus votos à restante equipa.”

E assim terminou o contacto da representante de Sua Majestade com o mais remoto território que administra. Antes de voltar para a sua cabine, a governadora sorri e comenta: “A esta hora ela deve estar a dizer aos outros 'There was some mad woman on the radio!'”

Sendo a última viagem do RMS a Tristão da Cunha, a governadora não podia deixar de estar a bordo. Esta é uma das muito raras oportunidades que tem para se reunir com o seu representante na ilha, o administrador. E uma oportunidade ainda mais rara para visitar Gough, mesmo mantendo-se ao largo. Em 25 de Janeiro de 1999, o então governador David Smallman fez questão de ser o primeiro governador de Santa Helena a pisar Gough, sendo içado do RMS para terra por uma grua da estação meteorológica e atrasando significativamente a viagem do navio, o que lhe valeu uma severa reprimenda de Londres. Na mesma ocasião, e após receber aprovação do Foreign and Commonwealth Office, renomeou o segundo pico mais alto da ilha, até então designado Expedition Peak, como Gonçalo Alvarez Peak, em honra do marinheiro português que primeiro avistou a ilha de Gough. Isto contou-nos Colin Quinn, que visita Santa Helena pela 11.ª vez e deve ser um dos homens mais viajados do mundo. Mas, essa, é outra história.