Câmara de Lisboa manda encerrar discoteca Barrio Latino

Estão em curso dois processos relativos a " perturbação da tranquilidade pública" e tráfico de droga.

Foto
Miguel Manso

A Câmara de Lisboa mandou encerrar a discoteca Barrio Latino, onde um segurança morreu na sexta-feira, depois de ter sido atingido por um tiro no parque de estacionamento junto à entrada principal deste espaço nocturno na zona de Santos. Em causa está uma investigação por tráfico de droga no estabelecimento, avançou esta terça-feira o vice-presidente da autarquia lisboeta, Duarte Cordeiro.

A autarquia já tinha decidido restringir o horário de funcionamento daquele espaço de diversão nocturna, no sábado, por "indícios fundados de perturbação da tranquilidade pública".

Foi emitido "um despacho de restrição de horário" que, segundo explicou o autarca, tem "efeitos imediatos", e um outro despacho de encerramento. Esta decisão não tem efeitos imediatos pois está dependente de uma "audiência prévia de interessados", que decorrerá nos dez dias úteis subsequentes à notificação.

O autarca explicou que estão dois processos da PSP a decorrer em paralelo: um relativo a "indícios fundados de perturbação da tranquilidade pública e outro devido a tráfico de droga".

Donos notificados esta terça-feira

Duarte Cordeiro adiantou ainda que os proprietários do estabelecimento foram esta terça-feira notificados.

Um dia depois da morte de um segurança à porta daquela discoteca, a autarquia explicou, em comunicado, que o estabelecimento “tem em curso várias contra-ordenações, de autos de notícias elaborados após fiscalização da Polícia Municipal".

A discoteca Barrio Latino, situada na zona de Santos, abre durante a noite e madrugada, como discoteca, e continua aberta entre as 5h e a hora do almoço, como espaço after-hours que passa música electrónica. Na sexta-feira, feriado, por volta da hora de almoço, um segurança do espaço de diversão nocturna foi atingido por um tiro no parque de estacionamento junto à entrada principal deste espaço nocturno da zona ribeirinha, acabando por morrer no hospital de São José.

A situação decorreu na sequência de uma altercação entre dois grupos na discoteca. O jovem suspeito do homicídio está em prisão preventiva.