A partir de hoje, apoio à vítima está disponível em língua gestual

Serviço presencial está apenas disponível em Lisboa, devendo chegar "em breve" aos restantes 17 gabinetes de apoio à vítima no país.

paulo pimenta
Foto
paulo pimenta

A partir desta quarta-feira, a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) tem um serviço de atendimento em língua gestual portuguesa. O serviço destinado às vítimas de crime que tenham algum nível de surdez está disponível através de videochamada e presencialmente no gabinete de atendimento de Lisboa.

Para já há duas opções: pode fazer uma chamada de vídeo para o serviço de intérprete que a APAV disponibiliza, através do número 12472, ou dirigir-se ao gabinete de apoio à vítima na Rua José Estêvão, em Lisboa, onde o técnico da APAV fará a ligação com um intérprete, explicou Nuno Catarino, responsável pela comunicação da associação. A intenção é expandir “em breve” este serviço aos restantes 17 gabinetes de apoio no país.

Este serviço resulta de uma parceria cujo protoloco foi assinado esta quarta-feira, entre a APAV, a Fundação PT e empresa de telecomunicações Zonadvanced. Esta última disponibiliza à associação o serviço de intérprete de língua gestual portuguesa, Serviin.

“A dificuldade em chegar à comunidade surda é reconhecida há algum tempo e este serviço concretiza o objectivo que a APAV sempre teve, o objectivo chegar a toda a gente”, afirmou Nuno Catarino. Em Portugal, segundo a Associação Portuguesa de Surdos, estima-se que existam cerca de 120.000 pessoas com algum grau de perda auditiva e cerca de 30.000 surdos falantes nativos de língua gestual portuguesa.

A APAV tem ainda uma linha de apoio gratuta (116 006), disponível nos dias úteis das 9h às 19h.

P24 O seu Público em -- -- minutos

-/-

Apoiado por BMW
Mais recomendações