Há 271 crianças com menos de 14 anos à espera de bombas de insulina

Uma parte destas crianças, as que tenham dez anos ou menos, devem receber o dispositivo até ao final do ano. Bombas de insulinas começaram a ser entregues aos centros de tratamento a meio de Outubro, depois do concurso para a sua compra ter sido impugnado e ficado parado.

Nelson Garrido
Foto
Nelson Garrido

Há 271 crianças com diabetes tipo 1 e com menos de 14 anos em lista de espera para implantação de um dispositivo de perfusão subcutânea contínua de insulina, conhecido como bomba de insulina, segundo dados enviados ao PÚBLICO pelo Ministério da Saúde. Uma parte destas crianças, as que tenham dez anos ou menos, vão receber o dispositivo – que evita que tenham de levar várias injecções de insulina ao dia - até ao final do ano, caso seja cumprido o plano da tutela.

Estes dispositivos começaram a ser entregues em meados de Outubro aos centros de tratamento reconhecidos pelo Programa Nacional para a Diabetes, depois do concurso para a sua compra ter sido impugnado por uma das empresas concorrentes e ter ficado parado. “Essa situação foi completamente ultrapassada”, garantiu a coordenadora do programa, Cristina Valadas.

Estes centros de tratamento recebem as bombas de insulina e dão formação aos doentes para que as possam usar, pelo que a velocidade com que são entregues varia consoante a capacidade dos centros para darem mais ou menos acções de formação por semana, explicou Cristina Valadas. Existem 16 centros reconhecidos, onde estão a ser tratados 2165 doentes, e há quatro em fase de candidatura.

No próximo ano, são abrangidas as crianças até aos 14 anos. No prazo de dois anos, todos os diabéticos em idade pediátrica devem ter as suas bombas de insulina.