Sobe para cinco o número de mortos em surto de Legionella

Subiu para 50 o número de casos confirmados pela Direcção-Geral de Saúde, seis estão nos cuidados intensivos. Mulher de 76 anos é a quinta vítima mortal.

Foto
Existem 45 doentes infectados pelo surto do Hospital de São Francisco Xavier LUSA/ANTÓNIO COTRIM

A Direcção-Geral da Saúde (DGS) confirmou esta manhã de segunda-feira a morte da quinta vítima de Legionellarelaccionado com o surto no Hospital São Francisco Xavier, em Lisboa. Em comunicado, a DGS detalha que se trata de uma vítima "do sexo feminino, de 76 anos de idade, que esteve internada neste hospital, no âmbito deste surto". Ao fim da tarde, foi feito um novo balanço: há 50 infectados.

No terceiro comunicado do dia, a DGS elevou para 50 o número de casos confirmados desde 31 de Outubro, dos quais dez tiveram alta. O balanço mais recente revela que mais de metade dos casos confirmados (29) correspondem a mulheres e a larga maioria dos doentes afectados tem idade superior a 70 anos. Do total de casos confirmados, 29 doentes permanecem internados em enfermaria e seis doentes estão em Unidades de Cuidados Intensivos.

No comunicado da manhã, assinado pela directora-geral da Saúde, Graça Freitas, o organismo sublinhou que as indicações epidemiológicas apontam para um abrandamento e resolução do surto.

A Legionella é a bactéria responsável pela doença dos legionários, uma forma de pneumonia grave que se inicia habitualmente com tosse seca, febre, arrepios, dor de cabeça, dores musculares e dificuldade respiratória. Pode ainda surgir dor abdominal e diarreia. A incubação da doença tem um período de cinco a seis dias depois da infecção, podendo estender-se até dez dias.

Esta segunda-feira, a TSF avançou que a presença de Legionella voltou a ser identificada em Mangualde, Viseu, onde em 2016 já tinha sido detectada. As medidas implementadas à data não terão resolvido o problema.