Suspeitos das agressões de Coimbra já eram conhecidos pelas autoridades

Ministério Público abriu inquérito e está a tratar caso como tentativa de homicídio. PJ está a investigar

Foto

Os dois suspeitos de agredirem três pessoas na manhã de quarta-feira na zona da Solum, em Coimbra, já eram conhecidos pelas autoridades devido a situações semelhantes. Os dois homens, que a meio da tarde desta quinta-feira ainda não tinham sido localizados, são conhecidos pela PSP e “estão referenciados por práticas similares” às de dia 1 de Novembro, disse fonte oficial da força policial ao PÚBLICO.

A PSP não avança mais detalhes sobre o caso, que está agora a cargo da Polícia Judiciária (PJ). O Ministério Público (MP) está a encarar o caso como tentativa de homicídio, pelo que passou entretanto para a alçada da PJ. A Procuradoria Geral da República confirma a existência de um inquérito dirigido pelo MP a propósito das agressões da manhã de quarta-feira. No âmbito do inquérito, investigam-se “factos susceptíveis de integrarem, designadamente o crime de homicídio na forma tentada”.

A PJ de Coimbra, por seu lado, confirma apenas que a investigação está a decorrer, não adiantando mais informações. O Expresso noticiou que o carro em que os dois agressores se faziam transportar no dia 1 de Novembro foi localizado e apreendido, mas o mesmo não aconteceu com os dois indivíduos. A viatura encontrava-se perto da residência dos dois suspeitos.

As vítimas – um homem de 57, uma mulher de 29 e um homem de 24 anos – foram transportadas para o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, onde foram assistidas. Os três já tiveram alta, sendo que a vítima mais jovem chegou a estar internado com “prognóstico muito reservado”.

Um vídeo que está a circular nas redes sociais e que foi filmado a partir do prédio da rua Feliciano Castilho mostra os últimos momentos das agressões. Nas imagens, captadas de uma varanda, vê-se dois indivíduos de camisa branca a pontapear de forma violenta e repetida um homem que já estava caído no chão e aparentemente inanimado. No vídeo, que tem a duração de cerca de um minuto e meio, os golpes atingem a vítima de 24 anos no tronco e na cabeça. Depois da intervenção de algumas pessoas, os dois autores das agressões afastam-se calmamente.

O PÚBLICO apurou que as agressões começaram no exterior de um restaurante de fast-food poucos depois das 8h, hora de abertura do estabelecimento, na zona de drive-thru. Os dois homens começaram por agredir um funcionário de 57 anos do restaurante. Um casal que interveio para acalmar os ânimos acabou também por ser agredido, sendo o homem de 24 anos o principal alvo das agressões. Terá apenas dito aos dois indivíduos que não havia necessidade de estarem a agredir o funcionário e tornou-se imediatamente o principal foco das atenções dos agressores. Estava acompanhado por uma mulher de 29 anos, que também recebeu tratamento hospitalar.

A agência Lusa refere a PSP recebeu o alerta às 8h10 via 112, mas a polícia só chegou ao local já as agressões tinham terminado e os autores já tinham abandonado a zona. O comando distrital da PSP fica a cerca de 500 metros do local onde decorreram os incidentes. Os agressores foram identificados no próprio dia mas continuam em parte incerta.

Na Feliciano Castilho, a um feriado, apenas alguns dos estabelecimentos comerciais que ocupam o piso térreo do prédio de habitação abriram as portas e, aqueles que o fizeram, ainda não tinham iniciado o trabalho à hora que as agressões ocorreram. Aquela zona residencial de Coimbra voltou à normalidade, depois da manhã atribulada.Com Lusa