Santana Lopes aparece hoje na campanha ao lado de Passos Coelho

Os dois ex-primeiros-ministros participam em comício em Espinho, com Luís Montenegro.

Montenegro, Santana e Passos no ano passado, no 36º Congresso do PSD que, por sinal, decorreu em Espinho
Fotogaleria
Montenegro, Santana e Passos no ano passado, no 36º Congresso do PSD que, por sinal, decorreu em Espinho Adriano Miranda
Montenegro, Santana e Passos no ano passado, no 36º Congresso do PSD que, por sinal, decorreu em Espinho
Fotogaleria
Montenegro, Santana e Passos no ano passado, no 36º Congresso do PSD que, por sinal, decorreu em Espinho Adriano Miranda
Montenegro, Santana e Passos no ano passado, no 36º Congresso do PSD que, por sinal, decorreu em Espinho
Fotogaleria
Montenegro, Santana e Passos no ano passado, no 36º Congresso do PSD que, por sinal, decorreu em Espinho Adriano Miranda
Montenegro, Santana e Passos no ano passado, no 36º Congresso do PSD que, por sinal, decorreu em Espinho
Fotogaleria
Montenegro, Santana e Passos no ano passado, no 36º Congresso do PSD que, por sinal, decorreu em Espinho Adriano Miranda

O ex-primeiro-ministro Pedro Santana Lopes vai aparecer neste domingo na volta autárquica que Pedro Passos Coelho está a fazer pelo país, apurou o PÚBLICO. O momento escolhido foi um comício em Espinho, às 19h, que vai juntar o antigo e o actual líder do PSD, além de Luís Montenegro, o ex-líder parlamentar que é visto como um futuro candidato à liderança do partido.

Na agenda deste domingo, a seis dias do fim da campanha, Passos Coelho só tem duas iniciativas divulgadas de campanha autárquica: um almoço com apoiantes em Leiria e um comício autárquico em Espinho, cidade de onde é natural Luís Montenegro, que liderou a bancada do PSD nos últimos seis anos. A iniciativa acontece em território "laranja": Joaquim Pinto Moreira, 48 anos, candidata-se a um terceiro mandato na Câmara de Espinho, depois de ter reforçado a votação em 2013.  

O ex-primeiro-ministro e actual provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa entra, assim, na volta de norte a sul do país que Passos Coelho está a fazer desde o início do mês e numa altura em que há sondagens pouco favoráveis ao PSD nos grandes centros urbanos. Um dos casos que estão a preocupar os sociais-democratas é o de Lisboa, onde Santana Lopes ponderou ser candidato pelo PSD, mas acabou por desistir em Dezembro de 2016. O antigo líder do partido, que foi também presidente da Câmara de Lisboa (1995), esteve ao lado de Teresa Leal Coelho na apresentação da candidatura à capital, em meados de Julho passado.

Santana Lopes não tem calado algumas críticas a Passos Coelho, a propósito do discurso pessimista sobre a economia portuguesa que não se veio a confirmar, desafiando o líder do partido a “apresentar propostas, falar do presente e do futuro à luz da época nova que Portugal, a Europa e o mundo vivem”. Mas também tem defendido o actual líder do PSD de ataques internos mais violentos – como os do ex-deputado Carlos Encarnação, em Março deste ano –, sustentando que essas críticas “estão em minoria” no partido. Já este mês, a propósito da intervenção do ex-Presidente da República, Cavaco Silva, na Universidade de Verão do PSD, Santana Lopes registou que “não desapareceu a vontade de oposição e de combate político”. Um recado para os líderes do PSD e do CDS.