Asghar Farhadi ruma a Madrid

Todos Lo Saben é o novo filme do realizador iraniano que já ganhou dois Óscares que está a ser rodado em Madrid com Ricardo Darin, Javier Bardem e Penélope Cruz.

Foto
Asghar Farhadi segura o seu primeiro Óscar, já que não foi receber o segundo para protestar contra Donald Trump © Mike Blake / Reuters

Meses depois de não ter ido à cerimónia de entrega dos Óscares deste ano, em protesto contra as políticas de restrições às viagens impostas pelo governo de Donald Trump, onde o seu O Vendedor ganhou o galardão de Melhor Filme Estrangeiro – o seu segundo, após Uma Separação –, Asghar Farhadi rumou em Agosto até Madrid para rodar o seu novo filme, Todos Lo Saben, falado em espanhol.

É, como seria de esperar vindo de quem vem, um drama familiar, mas é também um thriller psicológico sobre uma mulher espanhola que emigrou para Buenos Aires e regressa à sua cidade natal perto da capital espanhola para levar o marido argentino e os filhos a uma celebração familiar. Mas uma rapariga é raptada e isso faz com que os até então bem guardados segredos da família venham à tona de uma forma dramática, como é apanágio dos filmes de Farhadi.

Alexandre Mallet-Guy, o produtor francês que já tinha trabalhado antes com Farhadi em O Passado e O Vendedor, disse, em declarações à revista canadiana Screen International, que este é o filme mais comercial do realizador até à data. O elenco parece confirmar isso: Penélope Cruz faz de Carolina, a tal mulher, e o elenco inclui também o seu marido na vida real, Javier Bardem, e o actor argentino Ricardo Darin, o protagonista de O Segredo dos Seus Olhos, de Juan José Campanella.

A história já tem uns tempos. Começou a ser escrita antes de O Vendedor e a rodagem era para ter começado bem antes. Mas em 2015 o autor decidiu, mesmo após já ter escolhido cenários, voltar ao Irão para fazer primeiro esse filme. O guião foi escrito em farsi, a língua-mãe de Farhadi, e deopis traduzido para espanhol. A ideia origianl era ter sido co-produzido pela El Deseo, a produtora de Agustín e Pedro Almodóvar, mas tal acabou por não acontecer. Será, na mesma, uma produção franco-italiana-espanhola.

Não é a primeira vez que Farhadi roda fora do seu Irão natal: em 2013, o autor filmou O Passado em Paris, uma co-produção entre o seu país, França e Itália, que é falada em francês e farsi. Com a presença em Espanha, Farhadi tem acesso a colaboradores locais com provas dadas, não só em termos de actores, mas também na equipa técnica. Entre eles contam-se José Luis Alcaine, várias vezes nomeado e vencedor de prémios Goya que trabalhou com Almodóvar em filmes como Má Educação ou Ata-me!, e nomes como Antonio Giménez-Rico, Francisco Regueiro, Carlos Saura ou até o português Jorge Silva Melo, com quem fez António, um Rapaz de Lisboa em 2002, ou a figurinista Sonia Grande, que colaborou com Almodóvar, Woody Allen, Alejandro Amenábar e Fernando Trueba.