O que é que a Tesla tem?

Uma empresa de carros eléctricos futuristas é provavelmente o negócio mais normal de Elon Musk. O novo modelo, aguardado há muito, levantou uma onda de entusiasmo na Internet.

Fotogaleria
O interior do Tesla Model 3 Reuters/HANDOUT
Fotogaleria
O novo modelo é o mais barato da marca Reuters/Handout .
Fotogaleria
Elon Musk fez fortuna com o Paypal, no final do século passado Reuters/Aaron Bernstein
Fotogaleria
Mais de meio milhão de pessoas fizeram um reserva Reuters/HANDOUT

Não foi exactamente um arranque a grande velocidade, mas bastou para pôr muita gente a falar do assunto: a Tesla, a fabricante americana de automóveis eléctricos dirigida pelo excêntrico empresário Elon Musk, entregou há poucos dias os primeiros carros do seu modelo mais barato, com o qual espera conseguir chegar às massas. Porém, foram apenas 30 unidades a sair das linhas de montagem e que chegaram às mãos de funcionários da própria empresa que tinham feito uma reserva. O resto dos clientes terá de continuar na fila de espera. Segundo a Tesla, mais de meio milhão de pessoas pagou mil dólares para reservar um carro, sem ter sequer uma data exacta de entrega (há quem esteja a pedir o dinheiro de volta). E as primeiras unidades a sair da fábrica não são a versão mais barata: têm uma maior autonomia, mas com um acréscimo de preço que coloca o carro num patamar próximo do luxo.

Na imprensa, os artigos têm surgido em catadupa ao longo da última semana, dissecando os pormenores conhecidos do novo carro. Muitos são rasgados elogios. Mas um ou outro apontam que o Tesla Model 3 é fraca concorrência face a outros carros de preço semelhante. Inevitavelmente, nas redes sociais e nos fóruns de discussão, há trincheiras marcadas. A ausência de um painel de instrumentos – toda a informação é mostrada num grande ecrã no centro do habitáculo – é um factor frequente de discórdia. O custo dos vários extra também (por exemplo, o preço-base só dá direito a um carro de cor preta; a simples escolha de outra cor significa somar mil dólares à factura).

O sonho de Musk de massificar os carros eléctricos ainda está longe de se concretizar (ainda assim, estará mais perto do que o sonho de colonizar Marte): segundo a Agência Internacional de Energia, os veículos eléctricos apenas representam 0,2% de todos os veículos ligeiros em circulação. Mas é este o caminho que muitos fabricantes e governos pretendem seguir - e relativamente depressa. A França anunciou que quer terminar em 2040 com a venda de carros a combustível. A sueca Volvo pretende que todos os seus carros sejam eléctricos ou híbridos já em 2019. Na Alemanha - país de marcas como a Audi, Mercedes, BMW e Volkswagen, entre outras - as entidades públicas estão a pressionar os fabricantes para aumentarem a produção de veículos eléctricos, embora a própria chanceler, Angela Merkel, já tenha mostrado dúvidas sobre a capacidade do país para aumentar drasticamente nos próximos anos a quota destes carros.

O sector tem sido um desafio complicado para Musk, que disse ser um “inferno” gerir uma empresa de automóveis. A Tesla, criada há 14 anos, ainda não dá lucro. Os mais recentes resultados financeiros, apresentados nesta quarta-feira, dão conta de prejuízos no primeiro semestre em torno dos 400 milhões de dólares. Por outro lado, as receitas com as vendas de carros quase duplicaram, rondando os dois mil milhões de dólares. Musk já várias vezes argumentou que o que importa não é o estado presente de coisas, mas o futuro que a tecnologia permite. A valorização da empresa em bolsa parece indicar que os investidores concordam: a Tesla vale mais do que fabricantes estabelecidos (e lucrativos), como a Ford.

O que tem, então, este terceiro modelo da Tesla para justificar tanto entusiasmo? Comecemos pelo princípio.

Quem é Elon Musk?

O co-fundador e director executivo da Tesla Motors é conhecido por ter uma visão futurista. É comum ver o nome de Musk associado a tecnologias para explorar outros planetas, ao fim da dependência dos combustíveis fósseis, e a avisos sobre os perigos da inteligência artificial. O empresário, natural da África do Sul, fez a sua fortuna no final dos anos 90 com o sistema de pagamentos Paypal (de que é co-fundador) e com a empresa Zip2, que fornecia mapas e directórios de empresas a jornais online.

Musk tomou o controlo da Tesla em 2008 quando a empresa estava a atravessar dificuldades no seguimento da crise financeira mundial. O empresário também é o dono da Space X uma empresa privada de transporte espacial, que quer desenvolver uma cápsula para levar humanos a Marte. E tem uma empresa chamada The Boring Company (“a empresa aborrecida”, num trocadilho com o verbo "to bore", que significa "perfurar") para criar comboios subterrâneos de alta velocidade.

Quando foi lançado o primeiro Tesla?

Em 2008, dois anos depois de a Tesla apresentar a sua primeira proposta de carro: o Roadster. Apesar do factor novidade, foram vendidos cerca de dois mil carros: o preço-base de 110 mil dólares (perto de 93 mil euros, ao câmbio actual) tornava-o um carro de luxo, numa altura em que os carros eléctricos não tinham grande reputação. O segundo carro da marca, o Model S, que se estreou em Junho de 2012 teve muito mais sucesso (alcançando o título de melhor carro eléctrico dois anos consecutivos, em 2015 e 2016). O preço base ronda os 63 mil dólares.

O que é o Tesla Model 3?

É o novo modelo da marca. Também é a fase final do “plano mestre” de três fases de Elon Musk, apresentado há onze anos, para criar um carro eléctrico familiar a baixo custo. O processo, que culmina com o Tesla Model 3, passava pelo desenvolvimento de uma série de três carros eléctricos, em que os lucros do modelo anterior eram utilizados para desenvolver um método de produção cada vez mais económico.

Porquê o entusiasmo com este modelo?

Há vários factores a contribuir para que se fale tanto do novo Tesla. Por um lado, o carisma de Elon Musk, um multimilionário com uma ambiciosa visão para o futuro da humanidade, que está também a investir na exploração espacial - e que é activo em redes sociais como o Twitter e o Instagram, respondendo com frequência a interpelações de outros utilizadores. Por outro lado, a marca tem uma aura de inovação tecnológica, não apenas pelos poderosos motores eléctricos, mas também pelo sofisticado sistema de condução autónoma, uma tecnologia em que o sector automóvel está a apostar e que promete mudar a relação dos consumidores com os automóveis. Por fim, havia a promessa de um preço muito abaixo do dos outros modelos.

Quanto custa o Model 3?

O preço-base é de 35 mil dólares, mas as funcionalidades e equipamentos extra, que vão de maior autonomia da bateria à simples cor do automóvel, facilmente levam a que o custo dispare.

Escolher uma cor que não o preto significa um acréscimo de mil dólares. Baterias com maior autonomia (um factor importante para os condutores de automóveis eléctricos) custam mais nove mil dólares. Para ter o afamado piloto automático da marca é preciso desembolsar mais cinco mil dólares. O carro tem também um pacote de melhorias ao interior do veículo (com materiais de melhor qualidade e retrovisores aquecidos, por exemplo) que custa outros cinco mil dólares.

O que diz a imprensa especializada?

Há muitos elogios entre os jornalistas especializados que experimentaram o carro, muito embora ainda não haja análises de fundo. Por exemplo, a agência Bloomberg publicou um artigo com o título “Conduzir o Model 3 muda tudo”, no qual são elogiados os materiais e a tecnologia incorporada. As primeiras impressões no site do famoso programa Top Gear, da BBC, também são genericamente positivas. O site de tecnologia Mashable elogiou o conforto dos assentos e do guiador, mas mostrou dúvidas quanto à opção de não haver um painel de instrumentos no sítio habitual.

É possível comprar o Model 3 em Portugal?

É possível fazer uma reserva do carro a partir de Portugal. A marca (que está neste momento a contratar em Portugal) tem uma versão portuguesa do site. A reserva custa 1000 euros e o site informa que “a entrega das novas reservas está prevista para meados de 2018 ou posterior”. Os preços para o mercado português ainda não foram anunciados.

A Tesla não ia criar uma fábrica em Portugal?

Houve no ano passado muito entusiasmo em torno da ideia de que a empresa estaria em conversas com o Governo para instalar em Portugal uma fábrica de baterias. Na verdade, o tema era outrocom Karla Pequenino