Julgamento de Bill Cosby por abuso sexual reagendado para Novembro

Comediante vai voltar ao banco dos réus depois de júri não ter conseguido concordar num veredicto.

Foto
BASTIAAN SLABBERS

Depois de o júri no processo judicial em que Bill Cosby era acusado de abuso e agressão sexual não ter conseguido chegar a acordo sobre um veredicto e ter causado a anulação do julgamento em meados de Junho, um novo julgamento foi agora marcado para Novembro.

O juiz da Pennsylvania Steven O’Neill, que já tinha presidido ao julgamento que acabou por ser anulado, estabeleceu a data de 6 de Novembro para o reinício do julgamento do comediante e actor norte-americano, que tem sido acusado de ter abusado sexualmente de dezenas de mulheres ao longo das décadas, noticia a imprensa americana. Apesar das muitas acusações públicas, o julgamento diz respeito apenas à queixa de Andrea Constand, representada pelo procurador Kevin Steele. 

Em 2004, diz Constand, ex-basquetebolista e uma das responsáveis pela equipa de basquetebol feminino da Universidade de Temple, foi violada por Cosby na casa do actor, em Filadélfia. Cosby ter-lhe-á dado medicamentos - "três pequenos amigos para ajudá-la a relaxar", como o mesmo relatou durante a investigação - que a debilitaram: acordou com o soutien em desalinho e sem muita memória do que acontecera. Em 2006, Andrea Constand chegou a acordo, extrajudicial, após um processo cível que moveu no ano anterior contra o protagonista do Cosby Show. Mas o processo foi reaberto quando uma série de outras mulheres começou a denunciar outros casos, a maioria do quais já prescreveu.

Se for condenado pelas acusações de que é agora alvo, Bill Cosby pode enfrentar uma pena até dez anos de prisão. O humorista tem negado ter abusado sexualmente destas mulheres, alegando que as relações foram sempre consentidas, mas já testemunhou em tribunal ter usado sedativos para ter sexo, bem como ter pago pelo silêncio das suas acusadoras. Está em liberdade depois de ter pago uma fiança de um milhão de dólares, e nos dias após o anulamento do julgamento os seus porta-vozes anunciaram que o actor gostaria de voltar às palestras motivacionais que fez no passado, nomeadamente para ensinar adolescentes sobre como evitarem ser acusados de abuso sexual.