O legado de Jack Bauer fica por aqui (mas pode haver uma antologia)

24: Legacy, o reboot de 24, não regressa para a segunda temporada. A Fox já discute o futuro do franchise, focado na narração em tempo real da série.

Corey Hawkins (Eric Carter), o protagonista do reboot de 24
Foto
Corey Hawkins (Eric Carter), o protagonista do reboot de 24 FOX

O mercado televisivo vive actualmente uma dinâmica paradoxal sem precedentes – nunca se produziu tanta e tão heterogénea televisão, mas também nunca se olhou tanto para os sucessos do passado para afirmar relevância no presente. 24: Legacy, a série que recuperava a luta contra o terrorismo de 24 e que foi uma das grandes apostas da Fox este ano, não teve força suficiente junto dos espectadores para ir além dos 12 episódios da primeira temporada, anunciou esta quinta-feira a The Hollywood Reporter.

Esta não deverá ser, no entanto, a derradeira despedida do universo de 24  do pequeno ecrã. A imprensa especializada avança que a Fox já se encontra em diálogo com os produtores Howard Gordon e Brian Grazer para poder dar nova vida ao franchise, que ocupa um lugar de destaque no portefólio do canal. Através do formato antológico, seriam trazidos novos enredos e personagens a cada temporada, sendo cada história construída à volta do famoso dispositivo de tempo real utilizado na série-mãe.

24: Legacy focava a história do sargento Eric Carter (Corey Hawkins) e da sua missão conjunta com a Unidade Contra-Terrorismo que tinha como objectivo impedir um dos maiores ataques terroristas em solo americano. A mini-série contou com os criadores originais e teve como um dos seus produtores executivos o agente Jack Bauer (perdão, o actor Kiefer Sutherland), reunindo cerca de 17,6 milhões de espectadores aquando da sua estreia no privilegiado horário que se seguiu à emissão do Super Bowl. Apesar do grande investimento por parte da Fox, o reboot não conseguiu números impressionantes ao longo da temporada e acabou por alcançar uma média total de 6,3 milhões de espectadores.

De acordo com a Entertainment Weekly, a série conquistou inicialmente um grande interesse por parte do público – o trailer obteve cerca de dez milhões de visualizações –, mas as audiências foram diminuindo significativamente a cada semana, sendo que o último episódio reuniu apenas 3,3 milhões de espectadores. Legacy não conseguiu agarrar o público, mas a crítica também recebeu o revival com alguma hesitação. “Em geral, este reboot desajeitado serve como um lembrete sobre o quanto 24 deve à voz enrouquecida e ao carisma confiável de Kiefer Sutherland, que serve de produtor executivo mas não aparece”, escreveu a crítica Maureen Ryan na Variety.

24 continua a ser uma das mais valiosas produções televisivas da Fox, tendo dado origem ainda a Redemption, um telefilme com Sutherland como Bauer, e a uma "série-acontecimento" de 12 episódios protagonizada pelo actor, 24: Live Another Day. O drama de acção e espionagem, que foi para o ar entre 2001 e 2010, é apenas um dos hits do catálogo televisivo da Fox que o canal escolheu trazer de volta. Mas ao contrário da versão série-acontecimento de Ficheiros Secretos, que se tornou um dos programas mais vistos da temporada televisiva de 2015-16, 24: Legacy ficou em 34.º lugar segundo o ranking de programas mais vistos do Nielsen Media Research.

A par de 24, também o revival de Prison Break (2005-2009) – cujo regresso foi impulsionado pelo sucesso tardio no Netflix como série mais vista em binge-watching – foi um dos grandes lançamentos da Fox para a temporada. A mini-série de nove episódios, protagonizada pelos irmãos Michael (Wentworth Miller) e Lincoln (Dominic Purcell), também não conseguiu a melhor atenção do público, tendo conquistado uma média geral de 2,6 milhões de espectadores ao longo da temporada.