Inspecção-Geral de Educação e Ciência vai analisar casos de abuso a estudantes no Porto e em Braga

O ministro de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior exige responsabilização de alunos, organizações estudantis e dirigentes das instituições.

Os alegados abusos aconteceram nas semanas académicas do Porto e de Braga
Foto
Os alegados abusos aconteceram nas semanas académicas do Porto e de Braga LUSA/ANDRÉ KOSTERS

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, pediu à Inspecção-Geral de Educação e Ciência que analise, “no âmbito das suas funções legais”, os dois casos de alegados abusos com estudantes registados nas semanas académicas do Porto e de Braga. O governante espera obter dessa forma uma leitura mais “detalhada” dos casos.

Em comunicado, Manuel Heitor “repudia veementemente” os dois vídeos em causa: tanto o que foi gravado num autocarro do Porto após uma noite da Queima das Fitas como o que envolve uma aluna da Universidade do Minho, filmada seminua na semana académica. Ambos foram postos a circular nas redes sociais.

Segundo o ministro, deve existir uma co-responsabilização por parte de todos os envolvidos, “incluindo dos próprios estudantes, das organizações estudantis e dos dirigentes das instituições, para o combate diário ao tipo de práticas mais uma vez reportadas”, a fim de honrarem “a integração dos estudantes do ensino superior”.

"Este é um esforço que exige a mobilização colectiva de todos, sem excepção, e que urge garantir e promover as nossas prioridades diárias", lê-se na mesma nota.

Manuel Heitor sublinha ainda que “os eventos, celebrações e festas de estudantes devem estimular oportunidades para impulsionar boas práticas de integração dos estudantes com mais cultura e não uma forma de promover a humilhação como tradição académica”.

Os casos estão a ser investigados pela Polícia Judiciária.

Texto editado por Hugo Torres